17/11/2016 às 05h34min - Atualizada em 17/11/2016 às 05h34min

Corinthians vacila no fim, leva empate do Figueirense e não entra no G6

Gazeta Esportiva
Camacho fez um gol, mas o vacilo do time no final custou a vaga no G6 (Foto: Eduardo)

O Corinthians parecia encaminhar uma vitória tranquila fora de casa, sem sustos, mas um vacilo da defesa no final custou à equipe dois pontos importantes na briga por uma vaga na Libertadores da América. O Alvinegro abriu o placar ainda no primeiro tempo com o volante Camacho, em belo gol, mas acabou sendo vazado por Rafael Moura aos 48 minutos do segundo tempo, após falta cobrada do meio-campo.

Com o resultado, o Timão fica com 51 pontos e não ultrapassa o Atlético-PR, que tem 52 e é o primeiro time do G6 do Campeonato Brasileiro. Além disso, pode ser ultrapassado pelo Grêmio, que encara o São Paulo nesta quinta-feira, no Morumbi. Já o Figueira, mesmo com o gol, chega a 34 pontos, na 18ª colocação, mas não cairá para a Série B nesta rodada.

Na próxima rodada, os comandados de Oswaldo de Oliveira encaram o Internacional, outro time que luta contra o rebaixamento, e buscam se manter na briga pelo torneio continental às 20h (de Brasília) da segunda-feira. Os atletas de Marquinhos Santos, por sua vez, têm um confronto direto contra a degola, diante do Vitória, no domingo, às 17h, no Barradão.

O primeiro tempo da partida disputada no Orlando Scarpelli foi de fazer os corintianos quererem voltar no tempo para a madrugada, quando viram os velhos conhecidos Tite, Renato Augusto, Paulinho e companhia praticarem um futebol bem jogado, característico da equipe nos últimos anos. Com muitos erros de passe, o Timão não conseguiu criar lances durante a primeira hora de partida.

Dentre muitas perdas de bola e embate físico no meio-campo, o único que se destacou foi o meia Rodriguinho, novamente uma ilha de criatividade em meio ao desempenho ruim de Giovanni Augusto e Marquinhos Gabriel. Como o time não conseguia dar sequência às suas jogadas, restou a ele se destacar com um “rolinho” sobre Jackson Caucaia. No lance, o rival deu um chute na canela do corintiano e recebeu o amarelo, aos 26 minutos.

A melhora do Corinthians, ainda que discreta, se deu quando Oswaldo de Oliveira inverteu seus meias, com Giovanni indo para a esquerda e Marquinhos ficando pela direita. Procurando sempre a jogada de passe curto, Giovanni produziu dois bons lances em ultrapassagens de Guilherme Arana. No primeiro, aos 30, Lucca errou o chute. No segundo, aos 37, Gatito se esticou e fez defesa no chão.

Quando parecia que os times iam para o vestiário zerados, coube a Camacho, agora como segundo volante, mostrar que pode ser opção boa também na parte ofensiva. Após perda de bola de Giovanni Augusto, ele deu belo drible em Ferrugem passando o pé em cima da bola e ficou de frente para a área. Após ameaçar o chute, tirou Jackson Caucaia e Marquinhos da jogada, chutando de dentro da meia-lua no ângulo de Gatito. O goleiro ainda desviou a bola, mas não evitou o gol.

A etapa final da partida mostrou um Figueirense mais ofensivo, mas também muito mais desorganizado na busca por uma virada essencial na briga contra a Série B. O técnico Marquinhos Santos colocou Éverton no lugar de Caucaia, um atacante na vaga de um volante, possuindo sempre quatro atletas no ataque. O nome a mais na frente, porém, pouco tocava na bola, já queo time não chegava com qualidade ofensivamente.

Foi aí que o Corinthians teve grandes chances de ampliar o marcador e resolver sua vida antes dos dez minutos. O azar dos alvinegros, porém, foi que as boas jogadas construídas por Rodriguinho, no meio, caíram sempre nos pés de Giovanni Augusto, na esquerda. Pouco inspirado, o meia primeiro tentou passe de calacanhar errado, depois parou em Ayrton. Na terceira, pela direita, partiu para cima de Pará e, da lateral, chutou direto, carimbando a trave de Gatito.

Precisando do resultado, o time da casa se lançou à frente com os meias Matheus e Yago, mas nada parecia capaz de ajudar os catarinenses. Bem postada, a defesa corintiana praticamente não sofria, mesmo com um miolo de zaga formado pelos jovens Pedro Henrique e Léo Santos. Ainda assim, porém, os paulistanos continuavam sem resolver a partida.

Quando o Figueira parecia sem opções, Willians perdeu bola na defesa e fez falta em Rafael Moura. Na cobrança, Rafael Moura marcou, mas estava impedido, para alívio da torcida. Alívio esse que não durou muito tempo. Aos 48, em falta cobrada da intermediária, o mesmo Rafael Moura, novamente impedido, desviou para o gol. Dessa vez, porém, o auxiliar não marcou e viu o Alvinegro desperdiçar dois pontos preciosos na busca pela Libertadores.

FICHA TÉCNICA
FIGUEIRENSE 1 X 1 CORINTHIANS

Local: estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis (SC)
Data: 16 de novembro, quarta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Anderson Daronco (RS)
Assistentes: Elio Nepomuceno de Andrade Júnior (RS) e Jorge Eduardo Bernardi (RS)
Cartões amarelos: Jackson Caucaia, Marquinhos e Ayrton (Figueirense); Lucca, Rodriguinho (Corinthians)
Cartão vermelho: Giovanni Augusto (Corinthians)
Gols:
FIGUEIRENSE: Rafael Moura, aos 48 minutos do segundo tempo
CORINTHIANS: Camacho, aos 44 minutos do primeiro tempo

FIGUEIRENSE: Gatito Fernandes; Ayrton, Werley, Marquinhos e Pará; Josa, Jackson Caucaia (Éverton Santos), Élvis (Matheus) e Ferrugem (Yago); Lins e Rafael Moura
Técnico: Marquinhos Santos

CORINTHIANS: Walter; Fagner (Léo Príncipe), Léo Santos, Pedro Henrique e Guilherme Arana; Willians, Rodriguinho, Camacho, Giovanni Augusto e Marquinhos Gabriel (Marlone); Lucca (Gustavo)
Técnico: Oswaldo de Oliveira


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »