24/11/2016 às 20h58min - Atualizada em 24/11/2016 às 20h58min

No Brasil, técnico já caiu até por abraço em rival

Rafael Valente e Vladimir Bianchini, para o ESPN.com.br

Espn
Marcelo Oliveira foi demitido do Atlético-MG nesta quinta

A demissão de Marcelo Oliveira do comando técnico do Atlético-MG após a derrota para o Grêmio por 3 a 1, em disputa na última quarta-feira, em Belo Horizonte, chamou a atenção pelo fato de ter ocorrido a exatamente um jogo da definição do título da Copa do Brasil. Mas, apesar de ser surpreendente, não foi o primeiro caso no futebol brasileiro.

Por mais absurdo que possa parecer, outros clubes já fizeram o mesmo antes de decisões importantes na tentativa de reverter resultados difícies ou por simples birra.

O caso mais famoso até hoje é o de Oswaldo de Oliveira, demitido do Vasco da Gama em meio à disputa da semifinal da Copa João Havelange (que substituiu o Campeonato Brasileiro em 2000) e antes do segundo jogo da final da Copa Mercosul contra o Palmeiras.

GAZETA PRESS
Oswaldo de Oliveira hoje está no Corinthians

Oswaldo de Oliveira hoje está no Corinthians

Hoje no Corinthians, Oswaldo sofreu em 2000

Oswaldo de Oliveira foi demitido por Eurico Miranda, então vice-presidente de futebol do clube carioca, por dois motivos. Primeiro por abraçar o técnico Luiz Felipe Scolari, que estava no Cruzeiro e era desafeto do cartola vascaíno, durante o primeiro jogo semifinal do Nacional. Depois por liberar os jogadores do treino de domingo e autorizar a reapresentação às 16h de segunda-feira - o time havia jogado no sábado, quando empatou por 2 a 2 após estar vencendo o rival celeste por 2 a 0, em Belo Horizonte.

"Não gostei do abraço e não tem sentido o time ficar sem atividade durante 48 horas quando vai decidir um título. Ordenei a mudança para a parte da manhã até porque tinha jogadores viajando para Salvador, Curitiba e São Paulo", justificou à época Eurico Miranda.

Joel Santana foi quem substutiu Oswaldo de Oliveira e teve sucesso. Derrotou o Palmeiras na final da Copa Mercosul e conquistou a Copa João Havelange daquele ano.

DE NOVO JOEL

GAZETA PRESS
Joel Santana foi vice com o Vitória, em 2002

Joel Santana foi vice com o Vitória, em 2002

Joel Santana foi vice com o Vitória, em 2002

Em 2002, o Vitória demitiu o técnico Arturzinho após uma derrota para o rival Bahia por 3 a 1. Seria mais um caso de treinador demitido após revés em clássico, o que faria a notícia ser esquecida, isso ocorreria se não fosse o fato de o time estar na final da Copa do Nordeste.

A derrota ocorreu exatamente pelo primeiro duelo da decisão do torneio. A diretoria ignorou o histórico de Arturzinho, que fez o Vitória liderar a Copa do Nordeste e terminar a primeira fase com sete pontos de diferença para o segundo colocado.

O escolhido? Novamente Joel Santana. Mas dessa vez o treinador carioca não teve a mesma sorte. O time rubro-negro empatou por 2 a 2 com o rival e foi vice da competição.

 
 
 
 
 
 
 
622 809fa50a dc0b 3281 a40b 9319d047a933

622 809fa50a dc0b 3281 a40b 9319d047a933

Alê analisa demissão de Marcelo Oliveira: 'Melhor elenco do Brasil sair sem nada em 2016 é muito pou

VICE E TAÇA NO MESMO ANO

Na temporada 2003 o Santo André também tomou atitude parecida. O time do ABC paulista estava na reta final da Série C do Brasileiro (disputada em um quadrangular) e na final da Copa Federação Paulista de Futebol (hoje chamada apenas de Copa Paulista).

Mesmo assim trocou de comandante após derrota para o Botafogo-PB, em casa, na penúltima rodada da Série C, em jogo que já poderia ter garantido o acesso. Luís Carlos Martins foi demitido e Luiz Carlos Ferreira contratado.

Ferreira só comandou o Santo André no último jogo que valia o acesso é subiu. Depois comandou o time na final da Copa FPF e foi campeão.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »