26/11/2016 às 11h52min - Atualizada em 26/11/2016 às 11h52min

'Foi um líder de convicções', diz Temer; 'o maior de todos', afirma Lula

Folha

O ditador cubano Fidel Castro morreu nesta sexta-feira (25), aos 90 anos, em Havana. A notícia foi divulgada por seu irmão, Raúl Castro, em pronunciamento na televisão estatal.

O presidente Michel Temer divulgou comunicado na manhã de sábado no qual elogiava Fidel Castro por ser "um líder de convicções".

"Marcou a segunda metade do século 20 com a defesa firme das ideias em que acreditava", afirmou.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse neste sábado que Fidel foi "o maior de todos os latino-americanos".

O petista afirmou que seu relacionamento com o cubano, que remonta aos anos 1980, foi "afetuoso e intenso, baseado na busca de caminhos para a emancipação de nossos povos".

"Sinto sua morte como a perda de um irmão mais velho, de um companheiro insubstituível, do qual jamais me esquecerei", disse Lula em nota publicada em sua página no Facebook.

"Será eterno seu legado de dignidade e compromisso por um mundo mais justo. Hasta siempre, comandante, amigo e companheiro Fidel Castro", diz o petista.

A ex-presidente Dilma Roussef afirmou nas redes sociais: "Fidel foi um dos mais importantes políticos contemporâneos e um visionário que acreditou na construção de uma sociedade fraterna e justa, sem fome nem exploração, numa América Latina unida e forte". "Hasta siempre, Fidel!", finalizou a petista.

Renan Calheiros, presidente do Senado, divulgou em nota de pesar: "Em nome do Congresso Nacional, lamento a morte de Fidel Castro que, a despeito de suas convicções e ideologias políticas, foi um homem que marcou a história mundial. Em momentos como este, devemos nos lembrar que posições políticas diferentes, desde que respeitados valores democráticos, contribuem para enriquecer nossa história".

Na madrugada deste sábado (26), o presidente do México Enrique Peña Nieto escreveu: "Lamento a morte de Fidel Castro Ruz, líder da Revolução Cubana e referência emblemática do século 20".

Presidente do México Enrique Peña Nieto lamenta a morte de Fidel Castro

Em outro post, Peña Nieto escreveu: "Fidel Castro foi um amigo do México, promotor de uma relação bilateral baseada no respeito, no diálogo e na solidariedade".

Presidente do México Enrique Peña Nieto lamenta a morte de Fidel Castro

Após saber da morte de Fidel, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, fez vários posts no Twitter sobre o ditador cubano.

Entre os posts, Maduro escreveu que falou com o ditador Raúl Castro para transmitir a solidariedade e o amor para o povo de Cuba com a partida do comandante Fidel Castro.

Maduro também postou fotos de Fidel com seu antecessor, o ex-presidente venezuelano Hugo Chávez, morto em 2013.

À época da morte de Chávez, o ditador cubano disse: foi a perda do "melhor amigo que o povo cubano teve em toda a sua história".

Acompanhando as fotos, Maduro escreveu: "Fidel e Chávez construíram o Alba, Petrocaribe e impulsionaram o caminho de liberdade dos nossos povos. A história os absolveu".

O presidente da Venezuela Nicolás Maduro postou fotos de Fidel com seu antecessor

A famosa blogueira dissidente Yoani Sanchez postou a imagem do ditador Raúl Castro fazendo o pronunciamento sobre a morte do irmão na televisão estatal. Ela escreveu: "#Cuba Rául Castro no momento de informar a morte de Fidel Castro".

O presidente cubano Rául Castro faz o pronunciamento da morte do irmão Fidel

Em outra mensagem publicada no Twitter, a dissidente desabafou: "#Cuba Minha mãe cresceu sob Fidel Castro, eu nasci sob Fidel Castro meu filho nasceu sob Fidel Castro, meus netos nascerão sem Fidel Castro".

Yoani Sanchez desabafa no Twitter

Logo após o anúncio da morte de Fidel Castro o governo espanhol expressou suas condolências a Cuba. Um comunicado do gabinete do premiê Mariano Rajoy afirmava que Castro foi "uma figura de grande importância histórica".

"Como filho de pais espanhóis, o ex-presidente Castro sempre manteve fortes laços com a Espanha."

Brian Wilson, ex-ministro do Comércio britânico, afirmou que Castro havia sido um "farol de esperança" na América Latina.

François Hollande, presidente da França, afirmou que Castro representava "para os cubanos, orgulho ao rejeitar a dominação externa".

Mikhail Gorbachev, ex-líder soviético, elogiou o cubano por ter "fortalecido" o país, de acordo com a agência Interfax.

"Nos anos passados, mesmo quando Fidel Castro não estava formalmente no poder, seu papel em fortalecer o país foi imenso."

Vladimir Putin, presidente da Rússia, disse que o nome de Castro é "considerado um símbolo de toda uma era na história do mundo".

Ele "era um verdadeiro e leal amigo da Rússia. Ele pessoalmente investiu bastante no desenvolvimento das relações entre a Rússia e Cuba".

Dmitri Medvedev, premiê russo, tuitou uma figura sua com Castro afirmando que o ditador cubano tinha grande interesse pelos acontecimentos do mundo e da Rússia.

O premiê russo Dmitri Medvedev tuitou foto com Castro

Paolo Gentiloni, chanceler italiano, publicou também uma mensagem na rede social, escrevendo que a morte de Castro marcava a virada de "uma das grandes e trágicas páginas do último século".

O chanceler italiano Paolo Gentiloni presta sua homenagem

Fidel Castro "viverá eternamente", afirmou neste sábado (26) o presidente chinês, Xi Jinping, em mensagem lida na TV após a morte do ditador cubano.

"O povo chinês perdeu um camarada bom e sincero", afirmou Xi em mensagem lida no início do noticiário noturno. "O camarada Castro viverá eternamente", acrescentou o presidente chinês, que também é secretário-geral do Partido Comunista Chinês.

O papa Francisco disse que a morte do líder foi uma "triste notícia", e que iria rezar pelo seu descanso. Ele expressou suas condolências em comunicado enviado a Raúl Castro.

Presidente-eleito dos EUA, Donald Trump comenta no Twitter: "Fidel Castro está morto!".

Presidente eleito nos EUA, Donald Trump comentou no Twitter nesta manhã: "Fidel Castro está morto!"


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »