11/10/2016 às 18h05min - Atualizada em 11/10/2016 às 18h05min

Taques pede mudanças na lei para beneficiar Estados

Governador e outros 10 governadores se reuniram com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia

Redação
Página Press
Pedro Taques (PSDB) foi a Brasília (DF) e se reuniu com presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM) (Foto: Gcom MT / Rafaella Zanol)

O governador Pedro Taques (PSDB) e mais 10 chefes do Executivo estaduais levaram, nesta terça-feira (11), ao presidente da Câmara Federal, deputado Rodrigo Maia (DEM), um pedido de mudança no projeto de lei de repatriação de recursos mantidos ilegalmente no exterior.

Os governadores cobram participação dos Estados sobre uma fatia maior dos recursos que forem repatriados.

O programa foi aprovado pelo Congresso Nacional ainda em 2015 e prevê anistia penal e tributária em troca de 15% de Imposto de Renda e mais 15% de multa sobre o valor mantido ilegalmente no exterior.

Atualmente, os Estados têm direito a 21,5% do total de Imposto de Renda arrecadado, que fariam parte do montante do Fundo de Participação dos Estados (FPE), o que é considerado pouco pelos governadores. No caso de Mato Grosso, por exemplo, a participação seria de 2,31% do montante destinado ao FPE.

A data final para repatriação de recursos no exterior é dia 31 de outubro. Entretanto, os governadores pedem que seja relaxado até o dia 8 de novembro. Caso isso aconteça, os Estados receberão sua parte ainda dentro do mês.

Uma das propostas que tramitam no Congresso Nacional autoriza o Governo Federal a repassar aos Estados parte do que for arrecadado com multa, caso a União alcance a partir de R$ 50 bilhões com a repatriação. No entanto, os governadores querem que esse mínimo seja alterado para R$ 30 bilhões. Sendo assim, após chegar a esse valor mínimo, os Estados teriam direito a 21,5% do que for arrecadado com multa a partir deste montante.

“Os Estados têm direito ao pagamento da multa, que está previsto no artigo 160 da Constituição e artigo 113 do Código Tributário Nacional (CTN). A multa também é o principal e não o acessório e os Estados teriam direito. Por isso, pedimos que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, converse com o presidente da República, Michel Temer, para que possamos diminuir o montante em que os Estados teriam direito à multa. Nesse caso, sairia de R$ 50 bilhões para R$ 30 bilhões”, disse.

Na reunião, os governadores destacaram que a aprovação do projeto de lei ainda este mês é essencial para o pagamento do Auxílio Financeiro para Fomento das Exportações (FEX), já que a União depende do montante da repatriação para fazer os repasses desses recursos.

Participaram da reunião com o presidente da Câmara Federal os governadores Rodrigo Rollemberg (Distrito Federal); Tião Viana (Acre); José Melo (Amazonas); Marconi Perillo (Goiás); Welington Dias (Piauí); Jackson Barreto (Sergipe); Rui Costa (Bahia); Luiz Fernando Pezão (Rio de Janeiro); Marcelo Miranda (Tocantins) e Fernando Pimentel (Minas Gerais). Também participou do encontro a secretária de Estado de Fazenda de Roraima, Shiská Pereira.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »