18/12/2019 às 11h43min - Atualizada em 18/12/2019 às 11h43min

Taques avalia ir à AL defender gestão e afirma que relatório de Janaina é baseado em “ódio”

Conforme Janaína Riva, o TCE, que havia aprovado as contas, fez um afago político a Pedro Taques e não uma análise séria da situação do Estado.

Érika Oliveira
Olhar Direto

O ex-governador Pedro Taques (PSDB) afirmou que ainda avalia a possibilidade de defender suas contas referentes à gestão de 2018, na Assembleia Legislativa, tal qual fez no mês de agosto durante julgamento feito pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE). A relatora do caso no Legislativo, deputada Janaina Riva (MDB), emitiu parecer pela reprovação das contas. Para Taques, a análise da emedebista foi baseada em “ódio e ressentimentos”.

“Respeito o Legislativo do meu Estado, tenho o parecer favorável do MP de Contas e a unanimidade do TCE. Contra ressentimentos e ódios não tenho solução”, comentou o ex-governador, logo após a votação de suas contas na Comissão de Fiscalização e Orçamento da Assembleia Legislativa de Mato Grosso.


Foram dois votos contrários e apenas um a favor do tucano. Agora, a matéria segue para o Plenário, onde será apreciada por todos os parlamentares.

Em seu relatório, Janaína Riva apontou inúmeras faltas graves que, conforme ela, fundamentam a reprovação. Romoaldo Júnior (MDB) seguiu a parlamentar e também votou contra o ex-governador. Valmir Moretto (PRB) foi contra e Xuxu Dal Molin (PSC) se absteve.

Conforme Janaína Riva, o TCE, que havia aprovado as contas, fez um afago político a Pedro Taques e não uma análise séria da situação do Estado. Pontua também que nenhuma conta municipal foi aprovada com este limite da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) na história.

A relatora julgou ainda que o TCE agiu com parcialidade no julgamento das contas, visto que situações parecidas foram rejeitadas pelo tribunal. Como exemplo, citou o caso da Prefeitura de Pontal do Araguaia, que teve parecer contrário do órgão.

Julgamento no TCE

As contas de Taques continham falhas apontadas como graves e gravíssimas, mas o Tribunal de Contas do Estado, por unanimidade, acatou o argumento do tucano de que sua administração foi duramente prejudicada pela crise econômica que o país enfrenta.

O próprio ex-governador participou da sessão extraordinária, realizada no mês de agosto, e fez sua defesa, que durou aproximadamente meia hora. Na ocasião, Taques disse que não conseguiu realizar todos seus sonhos e que cometeu erros por conta da crise, e por receber o Estado no limite de alerta da Lei da Responsabilidade Fiscal. Há uma expectativa de que o tucano faça o mesmo durante a votação de suas contas no Legislativo.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »