29/01/2020 às 15h59min - Atualizada em 29/01/2020 às 15h59min

Com sete nomes, PT fará pesquisa e espera Lula em campanha

Lúdio Cabral, Valdir Barranco e Carlos Abicalil estão entre cotados para disputa à vaga de Selma Arruda

DOUGLAS TRIELLI
Mídia News
Os deputados Lúdio Cabral e Valdir Barranco e o ex-federal Carlos Abicalil: disputa ao Senado (MidiaNews)

Os líderes do Partido dos Trabalhadores (PT) decidiram, na noite da última segunda-feira (27), que vão lançar um candidato na eleição suplementar do Senado, que ocorrerá em 26 de abril em Mato Grosso.

 

Em um documento publicado em suas redes sociais, são citados como pré-candidatos: a deputada federal Rosa Neide, os deputados estaduais Lúdio Cabral e Valdir Barranco, os servidores públicos Henrique Lopes e Edna Sampaio, o ex-deputado federal Carlos Abicalil e a ex-vereadora Enelinda Scalla.

 

Ao MidiaNews, a integrante do diretório estadual do PT, Edna Sampaio, explicou que uma nova reunião foi agendada para o próximo dia 14 de fevereiro, para deliberar sobre a escolha de um eventual nome.

 

Conforme prazos da Justiça Eleitoral, as siglas têm entre 10 e 12 de março para realizar as convenções. Dia 17 de março é o prazo final para o registro de candidaturas.
 

Até lá, os petistas dialogam com o diretório nacional para a realização de uma pesquisa, para análise dos pré-candidatos e sobre uma eventual ajuda financeira para a disputa.

 

“A escolha do nome vai depender da conversa com os possíveis candidatos, com outras forças políticas de partidos de centro-esquerda, e com o diretório nacional. Então, é uma complexidade de diálogos que ainda precisa ser vencida até encontrar um nome que seja de consenso e seja uníssono no partido”, disse.

 

“Eu sou do grupo que acredita que o melhor nome é do Lúdio Cabral. Eleitoralmente, é o melhor nome, o mais bem posicionado, com mais visibilidade e que tem o mandato de deputado estadual que pode ajudar muito nessa eleição, que será rápida e que exige dos partidos uma boa estratégia. O nome precisa ser aquele que unifique o partido. Tem que sair muito uníssono para construir uma campanha que tenha chances reais de vitória”, acrescentou.

 

Presença de Lula

 

Além da ajuda financeira, os líderes do partido em Mato Grosso também pedem à nacional que traga para Mato Grosso o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

 

Para Edna, a presença do ex-presidente ajudaria a alavancar a candidatura do escolhido.

 

“Teremos um diálogo com a nacional para a vinda do ex-presidente Lula em Mato Grosso. Há um entendimento de que eleição é do interesse da nacional. O PT entende a importância dessa disputa, que muda a configuração política aqui em Mato Grosso. Mas sabe que é uma eleição nacionalizada, pois é a única acontecendo no País”, afirmou.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »