13/10/2016 às 05h58min - Atualizada em 13/10/2016 às 05h58min

Taques se reúne com secretários no feriado e manda cortar gastos

O govermador busca novas medidas para economizar mais, cortar mais gastos, arrecadar mais, para que os serviços básicos sejam mantidos, assim como os salários dos servidores

Gustavo Nascimento
Página Press

O governador Pedro Taques (psdb) se reuniu com a equipe econômica e secretários de Estado na manhã desta quarta-feira (12.10), no Palácio Paiaguás, para debater sobre estratégias para o enfrentamento da crise econômica em Mato Grosso.

Com o agravamento das dificuldades financeiras no país, que culminou na queda de arrecadação e na falta de repasses da União, muito Estados vêm encontrando graves dificuldades e sendo obrigados a realizar ações drásticas como corte de gastos e escalonamento dos salários dos servidores públicos.

Conforme o governador Pedro Taques, para minimizar os efeitos destes problemas econômicos, o Estado tem realizado diversas estratégias desde 2015, como a redução de 25% do custeio da máquina pública. “Nós precisamos buscar novas medidas para economizar mais, cortar mais gastos, arrecadar mais, para que os serviços básicos sejam mantidos, assim como os salários dos servidores”, afirmou.

Nesta semana, Taques esteve em Brasília, reunido com outros governadores para discutir a situação com a Presidência da República e também com o Legislativo. O governador falou dos problemas do Estado e pediu a regularização dos repasses da União, como os recursos do Fundo de Auxilio da Exportação (FEX) estimados em aproximadamente R$ 400 milhões.

Nesta quarta-feira (12), o chefe do Executivo estadual realizou um balanço do encontro em Brasília com o secretariado e, em seguida, a equipe discutiu sobre as reformas tributária e administrativas, além de outras propostas para ampliar os recursos para as secretarias e manter os pagamentos dos salários dos servidores regularizados.

“Assim como as famílias, não podemos gastar mais do que arrecadamos. Também temos o objetivo de reduzir a complexidade do ICMS e de outros impostos, isto está sendo feito com debates, reuniões, junto com a Fundação Getúlio Vargas, com os deputados e com o cidadão contribuinte. Mas, mesmo desta forma, sou otimista e tenho certeza que vamos superar esta crise, que este é um momento que toda a sociedade brasileira está vivendo. Como diria o ditado do meu tempo:não existe remédio doce para doença grave”.

Entre as propostas debatidas na reunião está a Mensagem nº 40, de autoria do Executivo, para a abertura de um crédito adicional suplementar, no âmbito da Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2016, para a realização de investimentos na Saúde e demais áreas do Estado. A mensagem deverá ser levada à Casa de Leis ainda esta semana para apreciação.

A reunião desta quarta-feira, contou com a participação dos secretários José Arlindo (Gabinete de Governo), Jean Campos (Gabinete de Comunicação), Gustavo Oliveira (Planejamento), Seneri Paludo (Fazenda), Paulo Taques (Casa Civil), Ricardo Tomzcyk (Desenvolvimento Econômico), Márcio Dorilêo (Justiça e Direitos Humanos), Valdinei Arruda (Trabalho e Assistência Social), Luís Carlos Nigro (Turismo), Eduardo Chiletto (Cidades), o procurador Felipe da Rocha Florenço (Casa Civil) e do controlador Geral do Estado, Ciro Rodolpho (Controladoria Geral).


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »