26/11/2020 às 20h24min - Atualizada em 26/11/2020 às 20h24min

Após prisão assassino, comparsas se entregam e confessam

O jornalista, que foi ex-apresentador e repórter da TV Mirante, afiliada da Rede Record no município, havia trabalhado na campanha do prefeito Maurício Ferreira (PSD), que foi reeleito no dia 15.

JOAO AGUIAR
Ediney Menezes foi morto no domingo de eleição (Reprodução)

Após a prisão de um dos bandidos que executaram o jornalista Ediney Menezes de 44 anos, no interior de MT, os outros dois homens que participaram do crime no último dia 15, se apresentaram na delegacia da Polícia Civil de Peixoto de Azevedo (691 km de Cuiabá) e confessaram o assassinato.

Os dois já estavam com os mandados de prisão expedidos e eram procurados pela Polícia Civil. A polícia ainda não divulga nomes, mas confirma que eles confessaram a execução. 

Três homens eram suspeitos de terem envolvimento no crime. Um deles foi preso pela Polícia Civil na manhã desta quinta-feira (26). Os policiais encontraram o homem na sua casa e apreenderam uma moto e roupas que teriam sido utilizadas no dia do crime.

Menezes foi executado com três tiros na cabeça por um bandido, que estava na garupa de uma moto, por volta das 22h. O jornalista foi encontrado em um HB20 na Avenida Itamar Dias, no bairro Centro Novo. 

A Polícia Civil analisou imagens de câmeras de segurança da região do crime e chegou até os três homens que participaram do crime.

O corpo da vítima foi velado no dia 16 de novembro e enterrado no dia 17.

O jornalista, que foi ex-apresentador e repórter da TV Mirante, afiliada da Rede Record no município, havia trabalhado na campanha do prefeito Maurício Ferreira (PSD), que foi reeleito no dia 15.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Moeda Valor
Servidor Indisponível ...