15/02/2021 às 23h59min - Atualizada em 15/02/2021 às 23h59min

WhatsApp pede autorização do Banco Central para processar pagamentos

Se for aprovado, aplicativo poderá oferecer envio e recebimento de dinheiro que foi barrado em 2020.

Kadu Penuela

Em 2020, o Brasil recebeu a notícia de que o WhatsApp - aplicativo de mensagens dominante no território nacional - iria introduzir um sistema de pagamentos atrelado ao aplicativo, permitindo que usuários enviassem e recebessem dinheiro rapidamente da mesma maneira que conversam com seus contatos usando o app. No entanto, a atualização contendo o recurso foi suspensa pois agências reguladoras ainda precisavam analisar o aplicativo e suas operações financeiras.

Agora, a nova categoria de “iniciador de pagamentos” atribuída pelo Banco Central pode permitir que o WhatsApp - e diversos outros concorrentes - prestem esse serviço no Brasil, de forma semelhante a encontrada em países como China com a plataforma WeChat. Confira a notícia.

Para quem está interessado no sistema de pagamentos do WhatsApp, ou para quem já usa um aplicativo de pagamentos no smartphone, sempre vale o recado de redobrar as medidas de segurança digital, como o uso de senhas fortes, autenticação biométrica, além de aprender como usar VPN para proteger a conexão com a internet. Nos últimos anos, o número de golpes de clonagem de WhatsApp subiram drasticamente no Brasil.

WhatsApp conversa com Banco Central

Nesta segunda-feira, dia 15 de Fevereiro, representantes da plataforma de mensagens anunciaram aos veículos de mídia que a companhia, que atualmente é propriedade do Facebook, está ativamente conversando com o Banco Central para conseguir a autorização de “iniciador de pagamentos”, permitindo o retorno de sua atualização com sistema de pagamentos.

Introduzida em Outubro de 2020, a categoria é uma das novidades do Banco Central que visam modernizar a infraestrutura de pagamentos em todo o Brasil. Assim como o sistema Pix, que flexibiliza as transações bancárias, o título de "iniciador de pagamentos”  permite que uma instituição ordene o recebimento ou pagamento em nome de um usuário, com sua autorização, mesmo sem possuir acesso à conta bancária em questão. Com isso, aplicativos podem fornecer plataformas de pagamento que operam de forma transparente e eficiente no Brasil. Na China, a plataforma de pagamentos do aplicativo WeChat já é mais utilizada que o dinheiro em papel.

A grande vantagem dessa opção, comparada aos apps já existentes, é que com a autorização do Banco Central as transações passam a não precisar de intermediários, por exemplo, não é necessário usar um cartão de crédito para realizar uma compra com um lojista através do WhatsApp, ou para receber dinheiro de um amigo. Além disso, o processo é ainda mais rápido que a transferência Pix, que já se popularizou esse ano graças à velocidade e conveniência.

Apps de pagamento

Os consumidores brasileiros já começam a se acostumar com a ideia de usar aplicativos para gerenciar a vida financeira. Conhecidas como fintechs, as empresas de pagamentos digitais prometem vantagens e conveniências muito convincentes e que não são encontradas em bancos tradicionais. Até mesmo investimentos, como poupança e compra de tesouro direto, podem ser realizados através de aplicativos para smartphones que rivalizam os gigantes da indústria financeira.

Outra modalidade extremamente popular de aplicativos financeiros são os cartões de crédito sem anuidade: apenas baixando o app é possível solicitar um cartão de crédito internacional, sem taxas de anuidade, com limite automático e ferramentas úteis como pagamento via QR code e opções avançadas de controle de transações.

No entanto, esses serviços ainda usam a infraestrutura tradicional que estamos acostumados. Em contraste, tecnologias de blockchain como a famigerada Bitcoin prometem uma verdadeira revolução sobre o próprio funcionamento do dinheiro, substituindo moedas criadas e gerenciadas por nações por uma alternativa independente e matematicamente segura.

Tanto no caso das criptomoedas, como de aplicativos financeiros, é importante averiguar o risco e vantagens de investir nessas tecnologias, tomando os cuidados adequados para cada situação. Por exemplo, um banco digital pode ser extremamente seguro, mas os termos de uso durante a criação de uma conta podem ser abusivos, e a plataforma pode não garantir a segurança dos ativos dos usuários em caso de falência ou roubo.

E você, pretende usar o sistema de pagamentos do WhatsApp? A promessa é que assim como o aplicativo transformou a realidade das comunicações no Brasil, também transformará os pagamentos. Veja também como Guedes quer aprovar o auxílio emergencial em 3 semanas.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »