02/03/2021 às 10h05min - Atualizada em 02/03/2021 às 10h05min

Operação Mais mais valia da PF prende três desembargadores

MPF e PF investigam Witzel, magistrados do TRT e agentes privados por corrupção, lavagem de dinheiro e formação de organização... Textos, fotos, artes e vídeos do Folha do Litoral News estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização da Folha do Litoral News (jornalismo@folhadolitoral.com.br). Essas regras têm como objetivo proteger o investimento que a Folha do Litoral News faz na qualidade de seu jornalismo.

O DIA
Reprodução

O Ministério Público Federal (MPF) e a Polícia Federal (PF) cumprem na manhã desta terça-feira (2) novas medidas cautelares contra agentes públicos e privados investigados por participação em organização criminosa com atuação no governo estadual do Rio de Janeiro. Ao todo, são 11 mandados de prisão preventiva e 26 de busca e apreensão, determinados pela ministra do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Nancy Andrighi. A magistrada é a relatora de uma nova frente de investigação instaurada a partir do desmembramento de outros casos em curso no Tribunal. Cinco mandados são cumpridos na sede do Tribunal Regional do Trabalho do Rio.

Nesta fase, a investigação reuniu elementos de participação de escritórios de advocacia de parentes de magistrados do TRT-RJ, na concessão de decisões judiciais em favor de empresas de transporte e organizações sociais com dívidas trabalhistas.

Até o fim da manhã, pelo menos três desembargadores haviam sido presos. O desembargador Marcos Pinto da Cruz está entre os detidos. Ele é apontado pelo Ministério Público Federal como o principal articulador do esquema, tendo oferecido vantagem indevida ao ex-secretário de Saúde Edmar Santos. A irmã do desembargador, Eduarda Pinto da Cruz, também está entre os alvos de prisão, por lavagem de dinheiro em seu escritório de advocacia.

Segundo o MP, o total recebido por Marcos Pinto da Cruz de sua irmã entre 2018 e 2020 foi R$3,606 milhões, sendo a última transferência sido feito às vésperas da Operação Tris in Idem.

Thank you for watching

A Justiça determinou o afastamento do cargo público dos magistrados envolvidos. 

Confira os alvos de prisão preventiva

1. Marcos Pinto da Cruz, desembargador TRT

2. José da Fonseca Martins, ex-presidente do TRT,

3. Fernando Antonio Zorzenon da Silva, ex-presidente do TRT,

4. Antonio Carlos de Azevedo Rodrigues;

5. Eduarda Pinto da Cruz, irmã e operadora de Marcos Pinto da Cruz;

6. Sônia Regina Dias Martins, esposa e operadora de José da Fonseca Martins Júnioor;

7. Marcello Cavanellas Zorzenon da Silva, filho e operador de Fernando Zorzenon;

8. Leila Maria Gregory Cavalcante de Albuquerque, esposa e operadora de Antonio Carlos Rodrigues;

9. Pedro D'Alcântara Miranda Neto, advogado de empresas de ônibus;

10. o advogado Manoel Messias Peixinho;

11. Suzani Andrade Ferraro (esposa de Peixinho)


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »