13/04/2021 às 19h31min - Atualizada em 13/04/2021 às 19h31min

Médico diz que hospital "maquia" UTIs para lucrar com pandemia

JOYCY AMBRÓSIO
hnt
Reprodução/Facebook

O médico Wagner J. Mirando Jr. denunciou o Hospital e Maternidade Santa Rita, de Alta Floresta (790 km de Cuiabá), nesta segunda-feira (12), depois de ser demitido da unidade. O profissional usou sua conta no Facebook para dizer que sofreu represaria por conta de questionamentos feitos por ele sobre a falta de estrutura que o hospital tem oferecido aos profissionais que lá trabalham e aos pacientes atendidos.

Ainda na publicação, o profissional demitido alega que os proprietários do hospital estão lucrando com a situação de pandemia.

Segundo ele, o hospital estaria maquiando Unidades de Terapia Intensiva (UTI) com bons equipamentos para passar pelas vistorias do Sistema Único de Saúde (SUS). “[...] aproveitando a pandemia para lucrar, tirando os ventiladores de outras UTI só para montar uma bonita para mostrar para a Auditoria do SUS, depois que vão embora, volta a bagunça toda”.

Segundo a postagem de Wagner, os leitos oferecidos pelo hospital não estão com todos os respiradores funcionando. O médico dia que faltam medicações e até mesmo as ampolas de medicamentos estão sendo regradas aos profissionais.

“Hospital e Maternidade Santa Rita, melhor vocês realmente terem os 60 leitos com respiradores que funcionem, com medicações que não acabam, com computadores e impressoras que funcionem para os profissionais fazerem suas evoluções, prescrever as medições”, escreveu o médico.

De acordo com Wagner, os funcionários sofrem retaliação se questionarem a falta de medicamentos ou de estrutura para trabalhar. “Nós médicos, que não somos donos, se reclamar é demitido igual fizeram comigo. Não existe humildade, nem humanidade de alguns dentro desse hospital”.

Prefeitura de Alta Floresta

De acordo com a imprensa local, prefeito do município Chico Gamba (PSDB) teria divulgado uma nota na qual afirma ter conhecimento das denúncias publicadas pelo médico e que tomará as providencias cabíveis junto aos órgãos de fiscalização e ao Governo de MT.

No entanto, a redação do HNT tentou entrar em contato com a assessoria de comunicação do prefeito, para confirmar a informação, e não obteve atendimento até o fechamento desta reportagem.

Outro lado

A reportagem do HNT tentou entrar em contato com o Hospital e Maternidade Santa Rita, mas não foi atendida por nenhum dos canais oferecidos pela unidade de saúde para comunicação.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »