03/05/2021 às 10h14min - Atualizada em 03/05/2021 às 10h14min

Deputado critica inércia do DEM: “Garcia precisa tomar as rédeas”

Dilmar Dal’Bosco diz temer prejuízo ao partido nas urnas por falta de atuação do presidente

LISLAINE DOS ANJOS
Mídia News
O deputado estadual Dilmar Dal'Bosco: insatisfação com os rumos do DEM para 2022 (MidiaNews)

O deputado estadual Dilmar Dal’Bosco fez duras críticas à atuação do presidente estadual do Democratas (DEM), Fábio Garcia, visando às eleições de 2022.

 

O parlamentar afirmou que teme prejuízo nas urnas ao DEM em razão da "inércia da legenda",que, seungo ele, não tem buscado fortalecer as lideranças e iniciar a preparação dos candidatos para as disputas do próximo ano.

 

“A política não é feita só em ano de eleição. A eleição é feita no período permitido por lei, mas para você agregar, trazer lideranças, fazer um bloco com deputados estaduais, federais, Senado e Governo, que é Mauro Mendes, temos que ir tratando desde já o assunto”, afirmou.
 

De acordo com Dilmar, os demais partidos já estão se movimentando e isso está preocupando não somente a ele, mas também ao colega de sigla e primeiro secretário da Assembleia, Eduardo Botelho.

 

A mesma reclamação já foi feita pelo senador Jayme Campos, que disse que o partido está "acéfalo".

 

“Quando nós pedimos, tempos atrás, para que tivesse reunião, o presidente Fábio Garcia disse que não era o momento por conta da pandemia. Mas nós temos tecnologia, pode ser feito por videoconferência, inclusive”, disse.

 

“[A necessidade é] urgente, do meu ponto de vista, porque se deixar só para a janela [partidária] para definir isso, outros partidos podem sair muito à frente do Democratas”, ressaltou.

 

Dilmar chegou a relembrar a época em que era presidente do Democratas no Estado, alegando que ajudou o partido a se fortalecer.

 

“O partido estava à míngua e eu saí em todos os municípios do Estado, fiz o partido crescer muito e voltamos a ter o DEM grande em Mato Grosso. Não podemos perder isso”, defendeu.

“Precisamos trazer lideranças, fomentar lideranças a permanecerem no DEM e colocarem seus nomes à disposição para as eleições de 2022. [...] Um partido só é reconhecido quando é forte”, acrescentou.

 

DEM "adormecido"

 

Recentemente, Garcia afirmou que o Democratas está "adormecido" porque o foco, no momento, deve ser enfrentar a pandemia da Covid-19, não de pensar em antecipar o processo eleitoral.

 

O presidente ainda deu uma cutucada nos colegas, afirmando que é preciso parar de sair de uma eleição já pensando em outra, mas que também nunca impediu nenhum membro do partido de fazer política.

Na avaliação de Dilmar, há de se respeitar a hierarquia no partido e está havendo ausência de convocação por parte de Garcia, que inclusive não estaria atendendo a telefonemas.

 

"O presidente do partido é o Fábio Garcia e ele que tem que tomar as rédeas. Eu vejo que faltam ações do presidente”, criticou.

 

“Ele não está sumido. Está com seus afazeres, tem suas responsabilidades. Mas para presidir um partido do tamanho do DEM, tem que se fazer presente para que motive a todos a continuarem no partido, a fazer o partido crescer”, pontuou.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »