08/09/2021 às 22h55min - Atualizada em 08/09/2021 às 22h55min

Em áudio, Bolsonaro pede para caminhoneiros liberarem estradas

"Fala para os caminhoneiros aí que são nossos aliados, mas esses bloqueios atrapalham a nossa economia", disse o presidente.

RAFAELA LIMA
Metrópoles
Vinícius Schmidt/Metrópoles

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) gravou áudio, na noite desta quarta-feira (8/9), pedindo aos caminhoneiros para liberarem as estradas do país. Na gravação, obtida pelo G1, Bolsonaro aparece dizendo que o bloqueio atrapalha a economia.

“Fala para os caminhoneiros aí, que são nossos aliados, mas esses bloqueios atrapalham a nossa economia. Isso provoca desabastecimento, inflação e prejudica todo mundo, em especial, os mais pobres”, falou.

“Então, dá um toque no caras aí, se for possível, para liberar , tá ok? Para a gente seguir a normalidade. Deixa com a gente em Brasília aqui e agora. Mas não é fácil negociar e conversar por aqui com autoridades. Não é fácil. Mas a gente vai fazer a nossa parte aqui e vamos buscar uma solução para isso, tá ok? E aproveita, em meu nome, dá um abraço em todos os caminhoneiros. Valeu”, continuou.

A autenticidade do áudio foi confirmada pelo ministro da infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas. Em vídeo publicado em grupos de WhatsApp, o ministro confirmou o conteúdo do áudio e reafirmou a preocupação do presidente Bolsonaro com o bloqueio das estradas.

“A gente sabe que há uma preocupação de todos com a melhoria da situação do país, há uma preocupação de todos com a resolução de problemas graves. Mas a gente não pode tentar resolver um problema criando outro”, ressaltou.

Bloqueio nas estradas

Na noite desta quarta-feira (8/9), chegou a 14 o número de estados que registram bloqueios ou tentativas de paralisação em rodovias federais, subindo o nível de alerta de transportadoras e mercados. Alguns postos já começaram a ficar sem combustíveis.

O movimento é organizado por caminhoneiros autônomos, um dia após manifestantes pró-governo pedirem, dentre outras pautas, o fechamento do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Congresso Nacional, em diversos atos pelo país. Além desses temas, os motoristas que aderiram à paralisação cobram a redução dos impostos e do preço dos combustíveis.

Boletim emitido na noite desta quarta pelo Ministério da Infraestrutura, com dados da Polícia Rodoviária Federal, revela que o quadro se deteriorou rapidamente durante o dia. No início da tarde, havia registros de problemas em quatro estados. Na nota sobre a situação às 20h30, contudo, o número de estados com pontos de concentração em rodovias federais chegou a 14 estados, dos quais 12 “com abordagem a veículos de cargas”.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »