14/09/2021 às 10h10min - Atualizada em 14/09/2021 às 10h10min

CPI diz que setor de combustíveis sonega R$ 600 mi por ano em MT

Comissão está em andamento na Assembleia Legislativa; etanol é o setor que mais sonegada

CÍNTIA BORGES
Mídia News
CPI diz que setor de combustíveis sonega R$ 600 mi por ano em Mato Grosso - Tchélo Figueiredo/SecomMT

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Renúncia e Sonegação Fiscal da Assembleia Legislativa concluiu que o setor de combustíveis deixou de pagar aos cofres públicos R$ 614 milhões apenas em Mato Grosso.

 

O levantamento é referente ao ano de 2018 e foi feito com base no relatório da Receita Pública. A CPI, ainda está em andamento, mas a questão do combustível já está concluída. O montante tende a se repetir anualmente, conforme a CPI.

 

Conforme a investigação, naquele ano, apenas com sonegação de impostos foram R$ 398 milhões. Já com a inadimplência no recolhimento do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) chegou a R$ 216 milhões.

 

O montante não considera os valores referentes ao imposto do Fethab Diesel (Fundo Estadual de Transporte e Habitação).

 

Dentre os setores do combustível, o etanol é o mais sonegado, com cerca de 80% do montante total.

 

O setor ainda tem 39 processos judiciais de crédito tributário “sub-judice”, que somam o valor de R$ 1,5 bilhão, segundo dados da Secretaria de Estado de Fazenda.

 

Ainda foram levantadas irregularidades tributárias como adulteração de combustível, vendas interestaduais fictícias, vendas sem nota fiscal e meia nota, cancelamento de notas fiscais, falsa exportação para a Bolívia e devedores contumazes.

 

Tributos

 

Em Mato Grosso, a alíquota de ICMS do Diesel é de 17%, da gasolina C (Comum, quando há adição de etanol) é de 25%, e a do etanol hidratado é 10,5% quando vendido dentro do Estado e 7% quando vendido para outros estados.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »