21/09/2021 às 09h14min - Atualizada em 21/09/2021 às 09h14min

Mendes: com 230 mil empregos, ferrovia fará justiça à população

Governo do Estado e a empresa Rumo Logística assinaram acordo para a construção da obra

REDAÇÃO
O governador Mauro Mendes, em discurso durante evento para assinatura de contrato - Mayke Toscano/Secom-MT

O governador Mauro Mendes (DEM) afirmou que a chegada da primeira ferrovia estadual de Mato Grosso vai trazer "justiça" ao Estado e à população. 

 

A declaração foi dada em evento de assinatura do contrato com a empresa Rumo Logística para a construção do modal nesta segunda-feira (20), em Cuiabá.

 

"Com a ferrovia, vão ganhar os mato-grossenses, as indústrias, as pessoas. Vai ganhar quem mais precisa de oportunidade, pois mais de 230 mil empregos diretos e indiretos deverão ser criados. Muito mais que fazer história, estamos fazendo justiça ao nosso Estado e à nossa gente", afirmou, durante o ato no Centro de Eventos do Pantanal. 

 

A ferrovia vai ligar os municípios de Rondonópolis a Cuiabá e Rondonópolis a Nova Mutum e Lucas do Rio Verde, e também vai se conectar à malha nacional, que chega ao Porto de Santos. 

 

De acordo com o governador, esse avanço logístico é mais uma alternativa importante para o escoamento de grãos, cuja produção em Mato Grosso pode superar as 120 milhões de toneladas anuais até 2030. 

 

Vai ganhar quem mais precisa de oportunidade, pois mais de 230 mil empregos diretos e indiretos deverão ser criados

"Melhorando a logística, melhora o processo de desenvolvimento e crescimento do Estado. Sem a ferrovia, iríamos entupir todas as rodovias para atender a essa crescente demanda. Isso teria um prejuízo ambiental gigantesco, teríamos que duplicar as estradas... Já a ferrovia vai ter um impacto muito positivo, porque é uma opção com baixa emissão de carbono, ambientalmente sustentável", pontuou. 

 

Para Mauro Mendes, o modal terá um impacto "enorme e positivo" na vida de milhares de mato-grossenses, pois vai impulsionar a indústria, o comércio comércio a geração de empregos. 

 

"A ferrovia se conecta ao Porto de Santos, principal polo industrial do País, e vai trazer insumos a Mato Grosso com menor custo de transporte. Poderemos trazer aço e matérias primas para a produção, por exemplo, a um custo muito menor. Além disso, será possível levar produtos do nosso mercado interno ao principal mercado de consumo, que é a região Sudeste", relatou. 

 

O governador ainda afirmou que os trilhos já estão atraindo investimentos. 

 

"Essa obra vai tornar nossas indústrias mais competitivas. Lá em Lucas do Rio Verde, um grupo empresarial anunciou um investimentos privado superior a R$ 1 bilhão, e esse anúncio foi acelerado por conta da ferrovia, pois é uma empresa da área do etanol. E o custo do transporte do etanol, com a ferrovia, será muito mais barato", ressaltou. 

 

A ferrovia

 

A construção da ferrovia prevê 730 quilômetros de linha férrea que vão interligar os municípios de Rondonópolis a Cuiabá, além de Rondonópolis com Nova Mutum e Lucas do Rio Verde, e que vão se conectar à malha ferroviária nacional, em direção ao Porto de Santos (SP). O investimento estimado para implantação da ferrovia é de R$ 11,2 bilhões e a expectativa é de que o empreendimento promova a geração de 230 mil empregos diretos e indiretos.

 

A previsão é de que o trecho entre Rondonópolis e Cuiabá estará concluído e em funcionamento no ano de 2025; enquanto a operação no trecho Cuiabá a Lucas do Rio Verde deverá começar em 2028.

 

Uma vez implantada a ferrovia, a Rumo S/A fica autorizada a explorar a ferrovia pelo prazo de 45 anos, sendo que a infraestrutura ferroviária poderá ser compartilhada pela empresa vencedora com outra empresa de transporte ferroviário que venha a prestar serviços no Estado.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »