11/10/2021 às 18h59min - Atualizada em 11/10/2021 às 18h59min

Polícia prende 6 por chacina que matou jovem mato-grossense

Rhamye Jamilly, de Cáceres, morreu junto com outras 3 pessoas; suspeitos são todos brasileiros

UOL
Rhamye Jamilly Borges (no detalhe) estava dentro de um carro quando foi alvejada (Rerodução)

A polícia do Paraguai prendeu, na manhã desta segunda-feira (11) seis brasileiros suspeitos de envolvimento no atentado que matou quatro pessoas e deixou outras três feridas, em Pedro Juan Caballero, na fronteira com o Brasil.

 

A mato-grossense Rhamye Jamilly Borges de Oliveira, de 18 anos, foi umas das vítimas da chacina. O caso ocorreu na madrugada deste sábado (9).

 

Os suspeitos estavam em um sobrado, na localidade de Cerro Corá, vizinha de Pedro Juan. No local os policiais apreenderam três carros, celulares, jóias e porções de maconha.

 

Segundo a investigação, eles teriam abandonado e queimado uma caminhonete semelhante à que foi usada no ataque de sábado.
 

O Ministério Público e a polícia paraguaia ainda investigam a relação dos suspeitos com a chacina.

 

O ataque aconteceu no bairro General Diaz, em Pedro Juan Caballero, a cinco quadras da fronteira com o Brasil. As vítimas saíram de uma festa e entravam em uma caminhonete Blazer quando foram atacadas.

 

Tiros de fuzil e pistola atingiram, além da mato-grossense Rhamye, outras três pessoas. Duas delas também eram estudantes de Medicina: a brasileira Kaline Reinoso de Oliveira, de 22 anos, e a paraguaia Haylle Carolina Acevedo Yunis, de 21, filha do governador do departamento de Amambay, Ronald Acevedo.

 

Também foi morto Osmar Vicente Alvarez Grance, de 32 anos, alvo principal do ataque, segundo a investigação. Ele seria ligado ao narcotráfico e tinha desavenças com a facção brasileira Primeiro Comando da Capital (PCC). 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »