12/10/2021 às 14h46min - Atualizada em 12/10/2021 às 14h46min

Bolsonaristas articulam lançar ministro ao governo em MT

O nome de Tarcísio também é defendido pelo deputado federal José Medeiros (PODE), pré-candidato ao Senado

Pablo Rodrigo
A Gazeta
Reprodução
O grupo intitulado “Direita Mato Grosso”, não descarta a possibilidade do ministro da Infraestrutura, Tarcíso de Freitas, a disputar o governo de Mato Grosso em 2022. A possibilidade foi discutida em uma reunião em Brasília que ocorreu no final do mês de setembro.   O encontro teve a participação do senador Marcos Rogério (DEM-RO) e a deputada federal Bia Kicis (PSL-DF), principais interlocutores e defensores do presidente Jair Bolsonaro Bolsonaro.
 

A proposta surgiu devido a informação de que Tarcísio poderia aceitar o desafio imposto por Bolsonaro, que inicialmente queria que ele disputasse o governo de São Paulo.  Porém, lá, os bolsonaristas estão mais propensos a lançarem o ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub para disputar o governo paulista.  

O ministro Tarcíso vem sendo incentivado em pressionado para disputar o governo do Estado em Mato Grosso, ou até em Goiás, estado vizinho.  Em setembro, Tarcísio admitiu pela primeira vez que pode disputar 2022. Porém, citou a vaga de senador e que poderia ser por Mato Grosso ou Goiás.  

"É uma possibilidade (se licenciar de eventual mandato de senador para ser ministro). Adoraria ver isso tudo ser concretizado lá na frente. Mas sempre na lógica: o que ajuda mais o presidente, onde a gente tem que estar para caminhar junto do presidente? Quais as melhores combinações de palanque em cada um dos Estados?", disse Tarcísio na época.  

O nome de Tarcísio também é defendido pelo deputado federal José Medeiros (PODE), pré-candidato ao Senado pelo grupo bolsonarista.  Na avaliação do grupo, Tarcísio teria serviço a mostrar para o Estado, como o marco regulatório da ferrovia no país, que permitiu que Mato Grosso lançasse uma PPP para a sua primeira ferrovia estadual.  

Tarcísio também teria o apoio de vários prefeitos do Nortão por causa da sua defesa pela Ferrogrão.

Além do nome do ministro, outro nomes foram levantados, como do ex-deputado federal Nilson Leitão (PSB), o empresário Reinaldo Moraes (sem partido) e da empresária Tânia Balbinotti.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »