13/10/2021 às 11h51min - Atualizada em 13/10/2021 às 11h51min

Jornalista que jogou cerveja em PMs é servidora de prefeitura em MT

A mulher foi proibida de frequentar bares e deve comparecer aos Alcoólicos Anônimos por seis meses.

AMANDA DIVINA
Reprodução/ Instagram

A jornalista Nildes de Souza, de 37 anos, que foi presa ao jogar cerveja no rosto de um policial militar na madrugada de terça-feira (12), em um bar na praça Popular, em Cuiabá, alegou na audiência de custódia ter transtorno bipolar. A servidora da Prefeitura de Bom Jesus do Araguaia (a 850 km de Cuiabá) teve a liberdade provisória concedida pela juíza Ana Graziela Vaz de Campos Alves Corrêa. 

De acordo com a decisão da audiência de custódia, Nildes também é dependente química de álcool. Em 2020, ela chegou a fazer tratamento para transtornos mentais em uma clínica em Chapada dos Guimarães.

Natural de Goiás, a jornalista mora em Bom Jesus do Araguaia e atua na Secretaria Municipal de Administração, no cargo de Diretora de Departamento.

HNT tentou entrar em contato com a prefeitura, mas as ligações não foram atendidas. Consta ainda na decisão que um dos motivos pelo qual Nildes teve a liberdade provisória concedida é porque a jornalista tem dois filhos menores de 12 anos.

De acordo com a Polícia Militar, a mulher tem 22 ocorrências policiais em desfavor dela, entre elas estão: preservação de direito, ameaça, lesão corporal, perturbação, atrito verbal, constrangimento ilegal, vias de fato e injúria real.

À Polícia Civil, Nildes afirmou que já foi indiciada pelos crimes de ameaça e homicídio tentado em Nova Xavantina. Porém, o teor da acusação não foi divulgada.

O HNT entrou em contato com Nildes por meio das redes sociais e ligações para sabermos se ela estava em Cuiabá a passeio ou trabalho mas, até o momento, não obtivemos retorno. O espaço segue aberto.

Liberdade provisória

No documento, a magistrada determinou o pagamento de fiança como condição à liberdade provisória. N. S. terá que pagar um salário mínimo dividido em duas parcelas. A indadimplência pode acarretar na suspensão da liberdade.  A juíza também determinou medidas cautelares como o uso de tornozeleira eletrônica pelo prazo de 90 dias, a proibição de mudança de endereço e recolhimento noturno das 22h às 6h. A mulher também foi proibida de frequentar bares e deve comparecer aos Alcoólicos Anônimos por seis meses.

Desacato

Vídeos que circulam na internet mostram o momento em que a mulher jogou um copo de cerveja contra um policial em um bar, na Praça Popular, em Cuiabá. Em seguida, o policial entrou no estabelecimento para deter a suspeita. Outro policial, que chegou a levar um chute, e um segurança do local também participaram da ação.  


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »