16/10/2016 às 13h50min - Atualizada em 16/10/2016 às 13h50min

Leitão: Bezerra não tem moral para chamar ninguém de “ladrão de porco”

Presidente do PSDB respondeu aos ataques do peemedebista contra as gestões tucanas

Érika Oliveira
Mídia News
O deputado federal, Nilson Leitão (PSDB), que rebateu os ataques de Carlos Bezerra (PMDB) contra o grupo tucano (Foto: Marcus Mesquita/MidiaNews)

O presidente regional do PSDB, deputado federal Nilson Leitão, rebateu as críticas do deputado federal Carlos Bezerra, presidente do PMDB, contra o candidato tucano à Prefeitura de Cuiabá, Wilson Santos.

Bezerra classificou Wilson Santos de "cara de pau" e o comparou a um "ladrão de porco".

O ataque se deu porque apoiadores de Wilson disseram que o candidato Emanuel Pinheiro (PMDB) já teria "loteado" os serviços em Cuiabá.

“O deputado Carlos Bezerra é aquele que todo mundo já conhece, que tem uma história na política de Mato Grosso com erros e acertos. Mas não tem moral para chamar ninguém de ladrão de porco”, respondeu Leitão.

Para Leitão, Bezerra “navega” na política de acordo com quem ocupa grandes cargos. Ele fez questão de lembrar que Bezerra e Wilson já fizeram parte do mesmo grupo político.

“O Bezerra navega na política há muito tempo, já teve várias pessoas ao lado dele, inclusive o Wilson Santos. Foi o Wilson quem saiu do grupo dele. Ele [Bezerra] quer mandar em todos os cargos federais porque ele adora um carguinho”.

O parlamentar comparou o posicionamento do peemedebista na atual conjuntura da eleição cuiabana ao episódio do impeachment da presidente Dilma Rousseff.

De acordo com o deputado tucano, na ocasião, Bezerra esteve ao lado de Dilma, mas bastou o atual presidente Michel Temer (PMDB) assumir o cargo, para ele, então, mudar de posição.

“É um deputado que hoje se delicia com a posse do Michel Temer, mas não ajudou em nada no processo do impeachment. Ele ficou ao lado da Dilma o tempo todo e bastou o presidente assumir que ele foi lá e se apossou do mandato do Michel. É um deputado que gosta de poder”, declarou.

Leitão respondeu, ainda, as críticas feitas à administração tucana no governo do Estado. Mais uma vez, o deputado atribuiu a atitude de Bezerra a “picuinhas”, que, segundo ele, teriam sido geradas por um ressentimento por parte do peemedebista.

“A grande tristeza dele é o Pedro Taques não o ter aceitado ao seu lado. Eu não vou tratá-lo como ele está nos tratando, porque ele está fazendo isso em função da eleição. É o tipo de pessoa que acha que vale tudo em campanha”.

O presidente da sigla tucana finalizou dizendo que foi surpreendido pelas críticas do deputado, pela experiência que ele acumula ao longo dos anos na política.

“Eu acho uma declaração muito fútil de um deputado tão experimentado. Em respeito à idade dele, à história dele, eu não vou chamá-lo de ladrão de porco, nem de ladrão de galinha e nem de ladrão de nada. Ele pode ser ladrão do que ele quiser, mas não pode nos medir com a régua dele em hipótese alguma”, completou.

Entenda o caso

O caso veio à tona quando aliados de Wilson Santos disseram que o PMDB já teria loteado serviços na Capital e que fortaleceria a CAB Cuiabá, caso Emanuel seja eleito.

“É uma hipocrisia o Wilson e sua turma querer usar o assunto CAB, mas ele é cara de pau. É igual ladrão de porco, que está com o porco nas costas e é flagrado pelo dono do porco. Mas finge que não sabe de porco nenhum. Ele é assim”, atacou Bezerra.

Bezerra alfinetou também o modo como o governador Pedro Taques (PSDB) vem conduzindo a administração do governo do Estado.

Para Bezerra, Cuiabá poderá viver um “caos administrativo” caso Wilson seja eleito e faça uma gestão "parecida" à de Taques.

“Com um governador e um prefeito desse tipo, Cuiabá vai sofrer. Vai ficar um caos. Vai juntar a fome com a vontade de comer. Todos conhecem o estilo do Wilson governar e, junto com Pedro Taques, seria um caos para Cuiabá”, disse.

“Cuiabá vai fazer 300 anos e precisa comemorar com um prefeito novo e competente, como é o Emanuel”, disse.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »