19/10/2016 às 19h00min - Atualizada em 19/10/2016 às 19h00min

Operação da Delegacia do Adolescente cumpre mandados em escola da Capital

Mizael Duarte
Página Press

A Delegacia Especializada do Adolescente (DEA), da Polícia Judiciária Civil, deflagrou na tarde desta terça-feira (19.10), a operação “Proteção ao Ambiente Escolar”, com objetivo de dar cumprimento a 18 mandados de busca e apreensão e realizar abordagens diretas de alunos da Escola Estadual Francisco Alexandre Ferreira Mendes, no bairro Boa Esperança, em Cuiabá.

Quase 100 policiais civis, entre delegados, investigadores e escrivães, participaram da operação que contou ainda com o apoio da 2ª Vara da Infância e Juventude, Juizado da Infância e Juventude, Ministério Público, Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), Secretaria de Mobilidade Urbana e o Canil da Polícia.

A operação foi desencadeada diante de denúncias da própria Escola, sendo instaurado pela DEA um Auto de Investigação de Ato Infracional para apurar a atuação de grupos de adolescentes envolvidos com tráfico e uso de drogas dentro da unidade escolar.

Com base nas investigações da delegacia, foram expedidos 18 mandados de busca e apreensão contra adolescentes, alunos da escola. A operação visava ainda a abordagem direta nas salas de aulas com apoio de cão farejador com o fim de localização de entorpecentes. A ação resultou em 15 menores apreendidos por força dos mandados de busca e apreensão e na apreensão em flagrante de uma adolescente. Uma faca, um canivete, telefones celulares e cigarros apreendidos, durante as buscas na escola.

O delegado Paulo Alberto de Araújo explicou que a operação é dividida em duas fases e tem cunho preventivo. Nesta primeira fase, a operação visa proteger o ambiente escolar, resolvendo situações infracionais e retornando a um nível seguro para qualidade do sistema de aprendizado. Na segunda fase, com a participação de outros órgãos será desenvolvido o fortalecimento de palestras e ações orientativas na escola.

“Ações preventivas já foram agregadas à pedagogia da escola com intuito de formar barreiras contra o avanço do crime organizado de drogas. O objetivo da DEA e de órgãos parceiros é de agir de forma legitima a fim de promover a retomada do ambiente e manutenção da paz dentro da escola”, disse.

Araújo disse ainda que a ação tinha como alvo, adolescentes que frequentavam a escola com o intuito de fomentar a criminalidade. “Não falamos apenas do tráfico de drogas, mas da existência de várias outras infrações penais reveladas a partir do uso e consumo de drogas, decorrendo a diferentes perigos sociais para o usuário, sua família, para o estabelecimento de ensino, para o aprendizado e para a educação, que interferem na pessoa social para qual o adolescente está se preparando para ser no futuro.

A delegada regional de Cuiabá, Anaíde Barros de Souza, destacou que após a operação deflagrada há um ano, na Escola André Avelino, no bairro CPA-I, diminuíram os índices de roubo nos terminais e de homicídios na região. “É um trabalho diferenciado, que exige muita cautela e planejamento e que visa devolver um adolescente melhor para sociedade”, destacou a delegada. 

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »