26/10/2016 às 17h21min - Atualizada em 26/10/2016 às 17h21min

Cirurgião plástico fala sobre o "Bumbum em alta – Prótese Glútea"

Dr. Olyntho Gonçalves
A bunda, que engraçada. Está sempre sorrindo, nunca é trágica. Não lhe importa o que vai
 pela frente do corpo. A bunda basta-se … ( Carlos Drumond de Andrade)
Devido a grande dúvida por parte dos leitores no que diz respeito aos implantes ou próteses glúteas retornamos ao tema de uma forma mais técnica com explicações práticas e diretas.

De acordo com as estatísticas da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica o procedimento vem aumentando crescentemente nos últimos tempos . Talvez pela acurácia que a técnica tem sofrido e a maior experiência dos cirurgiões que se dedicam a colocação deste implante , tudo isso vem tornando o implante (prótese) glúteo uma cirurgia bem mais comum que tempos atrás .

Os implantes estão indicados para aqueles pacientes que estão insatisfeitos com a falta de volume dos glúteos , com a forma dos mesmos, ou com a perda da massa muscular que tanto dá harmonia e forma ao contorno corporal.

Atualmente a maneira mais segura de se conseguir projeção e aumento de volume e firmeza muscular , de maneira harmônica e natural é através da prótese glútea . Diferentemente dos produtos injetáveis , que até o dado momento não existe nenhum isento de complicações .

A cirurgia é realizada com uma incisão de aproximadamente 5cm no sulco interglúteo, entre as nádegas , e as próteses são colocadas completamente dentro do músculo glúteo máximo, fazendo parte do mesmo , dando um aspecto muito natural , pois o que aumenta é o próprio músculo que acabou de ganhar este “recheio”de gel coesivo. Os implantes são de variados volumes de acordo com a necessidade , nos formatos redondos e ovais, sendo que o gel coesivo dos glúteos são mais resistentes que os de mama numa tentativa de aproximar ao máximo da consistência muscular humana . O procedimento possui uma duração média de 2h com tempo de um dia de internação . Não existe uma obrigatoriedade de troca dos implantes com o tempo, exceto nos casos de complicações .

A anestesia nestes tipos de procedimento ,logicamente que depende muito da experiência de cada anestesiologista, porém as mais utilizadas são a peri dural e a geral.

Muitas pacientes se preocupam com a cicatriz pos cirúrgica mas da forma que vem sendo praticada, exatamente no sulco interglúteo, que já é uma prega natural do corpo humano, acaba por passar despercebida devido ao local onde a mesma é posicionada . Também o profissional cirurgião , procura a reconstituição deste sulco numa tentativa de disfarçar ainda mais a incisão .

No pós operatório não ha restrições quanto a dormir de barriga pra cima ou para baixo , podendo sentar para ir ao banheiro sem problemas já no segundo dia de pós operatóro a paciente pode levantar caminhar ou sentar, não há esta necessidade de repouso absoluto no leito. O retorno pra dirigir ou trabalhar fica em torno de 2 semanas e aos esforços físicos mais intensos como academia após aproximadamente 45 dias sendo que há necessariamnte aval prévio do seu cirurgião. Uma restrição que não podemos deixar de tocar no assunto são quanto as injeções intra musculares que a partir da cirurgia estão proscritas pelo risco de perfuração do implante tendo que ser elegidas novas áreas musculares sem maiores problemas como os deltóides , quadríceps e outras.

Um detalhe importante é que o cirurgião plástico habilitado pra este tipo de cirurgia terá que ser obrigatoriamente membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica sendo muito fácil saber , indo ao site da S.B.C.P digitando o nome do seu médico e a cidade onde ele atua.

Agora saindo um pouco da área técnica e partindo para âmbitos filosóficos e antropológicos podemos notar um profundo poder que a bunda exerce e que ressalta aos olhos especialmente aqui nesta terra brasilis . Vivemos num país tropical de alta mescla de raças principalmente brancos, negros e índios que nos presenteou com uma genética de corpos espetaculares vistos no nosso cotidiano, nas academias , nas ruas no trabalho e nas praias brasileiras .

Corpos esculpidos por Deus que nós cirurgiões plásticos tentamos compensar certas deficiências e muita das vezes podemos dizer humildemente que conseguimos sim resultados muito interessantes . Sempre apoio-me que na vida nada se resume em um ponto somente , pois pra se ter um glúteo realmente lindo dependemos primeiramente da genética, talvez de um implante e também de treinos específicos com agachamentos caneleiras e movimentos de abdução (abertura das pernas ) o que trabalha os glúteos mínimos e médios que são responsáveis pelo arredondamento do bumbum.

Sendo assim a bunda que abunda desponta-se e sai na frente como se tivesse vida própria independente da pessoa que a carrega ou a possui. Como certa vez eu ouvi alguém dizer que a mulher pode até estar zangada, de cara virada mas quando passa com aquele glúteo maravilhoso parece nos dizer :

* Liga não, ela não está bem hoje, mas eu estou sorrindo pra você. A bunda basta-se.

Quando o bumbum passa, muitos assoviam , outros batem palma acompanhando um balanço tão brasileiro que hipnotiza , puxa os olhos como imã, quebrando-se os pescoços .

Pelo visto nós cirurgiões plásticos não estamos aqui pra inventar ou reinventar, somente mimetizamos , tentamos imitar o que de melhor já existe na natureza, dando-lhe um maior brilho um realce, melhorando uma das áreas mais belas e atrativas que nossa mulher brasileira já possui . Desta feita só podemos comemorar , e viva a bunda da mulher brasileira !

* Olyntho Gonçalves - Cirurgião Plástico Membro Especialista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica Membro Efetivo da Associação dos Ex Alunos do Prof. Ivo Pitanguy – AEXPI.
Pós Graduado em Cirurgia Plástica pela Pontifícia Universidade Católica RJ- PUC

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »