21/11/2017 às 19h55min - Atualizada em 21/11/2017 às 19h55min

'Agi para ajudar', afirma autora de 'vaquinha' a favor de policial baleado

Gazeta Digital
Reprodução/Gazeta Digital

A engenheira Joice Belle, 34, moradora de Cuiabá, que criou uma campanha no site nacional Vakinha em favor do investigador Sidney Ribeiro dos Santos, baleado no rosto em confronto com bandidos que sequestraram a empresária Milene Falcão Eubank semana passada, afirma que não agiu de má-fé e que vai entregar todo dinheiro que arrecadou aos familiares de Sidney.

Em entrevista ao Gazeta Digital, ela dá sua versão em meio a notícias divulgadas pela Polícia Civil e por familiares do investigador dizendo que a campanha não foi encabeçada nem por parentes das vítimas e nem pela Polícia.

Joice explica que faz parte de um grupo de desapega entre amigas no Whatsapp no qual estão adicionados parentes da empresária sequestrada e que o assunto surgiu. Segundo ela, muitas amigas estavam consternadas com o acontecimento e pedindo orações ao investigador Sidney.

"Sendo assim, falei assim nesse grupo: vamos orar, mas a família dele é humilde, então vamos ajudar com dinheiro também", detalha a engenheira.

Ela explica ainda que a conversa virtual evoluiu e perguntaram se alguém estaria com tempo para abrir a campanha e ela se dispôs. Considerou que o Vakinha é um site seguro, tanto é que, segundo ela, quem quiser retirar o apoio é possível.

Gazeta Digital tentou falar com o Vakinha, para confirmar se há essa possibilidade, mas o telefone disponível na página diz que não existe.

"Fui ao hospital, onde ele estava internado, o Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá, conheci a família e daí abri a campanha", afirma.

Sob suspeita de estelionato, Joice diz ter encerrado a campanha e se diz chateada com a repercussão negativa em torno do nome dela. Diz ter feito o encerramento da conta no Vakinha sábado mesmo, quando tinha arrecadado R$ 8.831,14. Só que no sábado a campanha não saiu do ar e o valor chegou a R$ 9.490,00.

Nesta terça-feira (21) de manhã ainda era possível acessá-la. No final da manhã, de fato saiu do ar, mas já somando R$ 11.125,00 em doações.

"Não tenho interesse em ficar com esse dinheiro, agi para ajuda, de besta que sou. O site pede 14 dias para repassar o valor e o que cair na minha conta, depois deste prazo, vou entregar aos familiares, já  informei ao delegado Victor, com quem já falei das minhas intenções e ele me disse para eu ficar tranquila", comenta Joice Belle.

Delegado Vitor Hugo, que conduz o inquérito do sequestro da empresária Milene Falcão Eubank e do roubo do carro dela, informa que vai investigar o caso.

"Pode ser que a pessoa esteja de boa fé, realmente querendo ajudar, mas está usando indevidamente o nome tanto da Polícia Civil, como da vítima. Agora, se confirmar má-fé, configura-se golpe", explica.

Gazeta Digital está acompanhando este caso, que tem tido grande repercussão.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »