22/11/2017 às 12h22min - Atualizada em 22/11/2017 às 12h22min

Taques diz que não fechará UTIs em MT

DIÁRIO DE CUIABÁ

Mato Grosso acumula uma dívida de R$ 162 milhões na área da saúde. A confirmação foi dada ontem pelo governador Pedro Taques, durante entrevista na rádio Capital. Taques confirmou que a administração passada deixou um déficit da saúde de 300 milhões. “Em três anos conseguimos reduzir esse valor a pagar para 162 milhões, o que deve hoje, restos a pagar desde 2009. A diferença é que agora temos um caminho estratégico para mudar a saúde no estado”, frisa. 

Apesar da dívida na saúde, o governador reforçou que não irá permitir o fechamento das Unidades de Terapia Intensiva. Um dos exemplos citados pelo gestor foi em Rondonópolis. Apesar da unidade confirmar fechamento da UTI e até manifestação ser realizada na cidade, Taques nega fechamento. Um vídeo chegou a circular nas redes sociais de médicos confirmando o fechamento. 

“Em Rondonópolis existia 31 UTIs, hoje temos 71 UTIs, a nossa administração instalou mais 40. Não temos nenhuma intenção de fechar e sim de abrir. A administração passada em cinco anos instalou 57 UTIs. A nossa administração em três anos, instalamos 204 UTIs. Em Rondonópolis, o estado atrasou repasse do UTI, mas isso não significa que a UTI deve ser fechada porque quem banca UTI é a União Federal e o estado só que as UTIs da Santa Casa não foram credenciadas, habilitadas no SUS no governo federal”, confirma. 

O gestor disse ainda que a situação precisa ser analisada administrativamente.

Taques disse que o problema da saúde não é exclusividade de Mato Grosso e está muito além da gestão. “Nós precisamos de menos discurso e mais recursos para a Saúde, mas voltando a Rondonópolis não fecharemos UTIs em Rondonópolis, aliás, abrimos 71 e na Santa Casa. Nós não fecharemos UTIs no estado. A Santa Casa de Rondonópolis em 2016 recebeu 28 milhões da União, do município e do estado, a maior parte do estado até novembro. E esse ano recebeu 38 milhões até novembro. O estado aumentou repasse para Santa Casa em quase 10 milhões, mais de 40%, porque entendemos da importância da Santa Casa. Essa é a discussão, não permitiremos nenhum fechamento da UTIs”, garantiu. 

O governador Pedro Taques defendeu a permanência do secretário Estadual de Saúde, Luiz Soares. Nos últimos dias, o gestor da pasta tem sido alvo de inúmeras críticas devido atrasos nos repasses para os municípios e aos hospitais filantrópicos, o que estaria ocasionando, de acordo com os parlamentares, fechamento de unidades de saúde. As críticas surgiram não somente da população, mas de líderes ligados ao staff de Taques, como o líder do governo na Assembleia Legislativa, Dilmar Dal Bosco. 

“O Luiz Soares fica até o momento em que ele esteja desempenhando um bom trabalho. E na minha opinião ele está desempenhando um bom trabalho. Não por ele ser meu amigo, mas porque é competente, ele é honesto. Estamos no governo há três anos e os problemas não foram todos solucionados, eu reconheço. A Saúde precisa de toda uma reestruturação administrativa”, disse. 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »