29/11/2017 às 09h40min - Atualizada em 29/11/2017 às 09h40min

1% dos mais ricos recebe 36,3 vezes mais que os mais pobres

Abonados ganham R$ 27 mil por mês, contra R$ 747 dos mais carentes

R7
Maior disparidade no salário ocorre no Nordeste Thinkstock

A concentração de renda no País pode ser medida pelos rendimentos dos trabalhadores brasileiros. Pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), divulgada nesta quarta-feira (29), aponta que 1% dos brasileiros mais ricos ganha 36,3 vezes mais que metade da população brasileira mais pobre.

No Brasil, os mais abastados ganham, em média, R$ 27.085 por mês, enquanto os 50% mais pobres recebem R$ 747.

Considerando todas as regiões brasileiras, a maior disparidade foi registrada no Nordeste, onde os trabalhadores que compõem a parcela de 1% mais ricos ganham 39,8 vezes o salário da metade mais pobre.

Por outro lado, a região com a menor diferença nesta comparação foi o Sul, com 24,6 vezes. Completam o ranking o Centro-Oeste (27,8 vezes), Norte (31,9 vezes) e Sudeste (36,3 vezes).

Salário por sexo

 

O salário médio do brasileiro, considerando todos os trabalhos das pessoas com 14 anos ou mais, foi de R$ 2.149 no ano passado.

Trabalhador negro ganha 45% menos que branco, indica IBGE

Trabalhador negro ganha 45% menos que branco, indica IBGE

Trabalhador negro ganha 45% menos que branco, indica IBGEValter Campanato/Agência Brasil - 25.01.2016

Os homens, porém, ganham mais que as mulheres: em média, os vencimentos deles chegam a R$ 2.380, enquanto os delas atingem R$ 1.836 — 23% a menos.

Pretos e pardos

A cor da pele também é determinante no salário médio dos trabalhadores brasileiros. O estudo indica que as pessoas pretas recebem R$ 1.547 e as pardas R$ 1.524 — cerca de 45% a menos que os R$ 2.810 recebidos pelos brancos.

A PNAD Contínua: Rendimento de todas as fontes considera os ganhos recebidos por pessoas de 14 anos ou mais de idade.

 
 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »