01/02/2018 às 18h50min - Atualizada em 01/02/2018 às 18h50min

Americano prova inocência e é solto após 38 anos preso injustamente

R7
Malcolm Alexander foi condenado injustamente Reprodução/Twitter

Condenado à prisão perpétua, um homem foi solto após cumprir quase 38 anos de pena injustamente na Paróquia de Jefferson, no estado  norte-americano da Louisiana, nesta terça-feira (30).

Segundo o site oficial do Innocence Project — organização americana que trabalha para libertar inocentes de detenções injustas —, Malcolm Alexander foi preso em 1979 após ser acusado de estupro. Exames de DNA realizados recentemente revelaram, entretanto, que Alexander não foi responsável pelo crime.

A confusão começou depois que, em fevereiro de 1979, Alexander — que é negro — teve um encontro consensual com uma mulher branca. Ela teria sido estuprada alguns meses depois por um estranho e denunciou Alexander como o agressor. À época, amostras de DNA foram coletadas pela perícia, mas nunca solicitadas pela investigação. 
 

O projeto afirma que o advogado anterior responsável pelo caso de Alexander "falhou em seus deveres mais básicos de apresentar uma defesa". O profissional teria, inclusive, sido afastado após seguidas queixas de negligência e abandono de diversos  clientes.

O caso chegou até o Innocence Projet em 1996, mas só em 2013 a organização conseguiu recuperar evidências que revelavam a inocência de Alexander no local do crime. 

 

Vanessa Potkin, uma das advogadas responsáveis pela defesa de Alexander no programa, afirma que as consequências do caso não poderiam ter sido mais duras para o americano.

— O Sr. Alexander tinha apenas 21 anos quando foi condenado após um julgamento que começou e terminou no mesmo dia. Há muitos inocentes presos hoje porque seus advogados não forneceram uma representação efetiva ou não dispunham de recursos para realizar uma defesa adequada. Sem advogados de defesa eficazes, nosso sistema judiciário não passa de um moinho de condenações.

Fotos publicadas pelo Innocence Project retratam Malcolm Alexander reunido com suas família e com os advogados da organização após a libertação. Veja abaixo.

Um vídeo ainda retrata o americano reencontrando a cachorra de estimação de que havia ajudado a cuidar ainda na prisão. "Eu te disse que seríamos soltos", diz Malcolm à cachorrinha Inn. 

 
 

"I feel beautiful. I feel happy, very happy. I feel happy for her. 'I told you we gone' be free.'" free after 38 years with his 9-month-old pup Inn http://owl.li/i2Bu30i5VOE 

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »