07/02/2018 às 17h14min - Atualizada em 07/02/2018 às 17h14min

Borracheiro é condenado a 14 anos de prisão por matar desafeto em campo de futebol

JESSICA BACHEGA
Ilustrativa

O borracheiro Orlando de Alencar Duarte Júnior, vulgo “Borracha”, foi condenado a 14 anos e seis meses de prisão pela morte de Anderson Henrique Alves Coelho. O acusado foi submetido a júri popular presidido pela juíza Mônica Catarina Perri, da Primeira Vara Criminal de Cuiabá e o conselho de sentença reconheceu Orlando como autor dos tiros que mataram a vítima.

O julgamento foi realizado em janeiro e a decisão em primeira instância ainda cabe recurso. A pena deve ser cumprida em regime fechado como determina a decisão da magistrada.

De acordo com a denúncia do Ministério Público Estadual (MPE), o crime foi registrado em um campo de futebol do bairro Areão, em Cuiabá, por volta das 17h40 do dia 21 de novembro de 2013. O acusado, a vítima e outras pessoas estavam no campo quando houve um desentendimento e Orlando se retirou no local.

Minutos de depois de sair do local, o acusado voltou acompanhando de um comparsa chamado Fabricio. Ambos estavam em um veículo modelo Corolla e ficaram dando voltas no campo até que Orlando desceu do carro e foi em direção à vítima.

Sem dizer nada, "Borracha" atirou por três vezes contra o rapaz. Dois dos disparos atingiram a vítima na cabeça. Anderson morreu no local e o atirador fugiu do local com apoio do comparsa que dirigia o veículo.

Orlando foi preso após o crime e solto posteriormente. Atualmente o réu está preso por conta de uma condenação por roubo e dois mandados de prisão pelo mesmo crime. Ele está recolhido da Penitenciária Central do Estado (PCE), onde deve cumprir a pena pelo homicídio. 

O comparsa no crime, Fabricio foi morto em 2014, antes mesmo de ser oferecida denúncia contra a dupla. A vítima, Anderson, também tinha passagens criminais.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »