07/02/2018 às 17h22min - Atualizada em 07/02/2018 às 17h22min

Mato Grosso aguarda revelação de duas delações premiadas

As delações de Riva e do Doia, do Detran, são aguardadas porque revelariam dois esquemas de pagamento de propina.

Blog do Antero
LAICE SOUZA

As delações premiadas do ex-deputado estadual José Geraldo Riva e do ex-presidente do Detran, Teodoro Moreira Martins, o Doia, ainda não se tornaram públicas. No caso de Riva, há apenas informações, que a imprensa nacional disponibilizou, que ele teria delatado um esquema de pagamento de propina de mais de R$ 100 milhões em 20 anos de atuação na Assembleia.

Além de deputados, a distribuição da propina atingiria outros Poderes. Riva sempre esteve na mesa diretora da Assembleia, fato que lhe proporcionou transitar por todos os setores da política e economia.

O ex-deputado já foi condenado em dois processos, por crimes contra a administração pública, por fraude na compra de materiais para a Casa de Leis. As condenações somam 44 anos e prisão. Ele recorre dessas condenações em liberdade.

Riva, que ficou nacionalmente conhecido como o "maior ficha suja" do país, ainda responde há mais de 100 processos judiciais e já chegou a ser preso por três vezes. Em uma das vezes, ele ficou encarcerado por 4 meses.

Detran

Outra delação que é muito aguardada é do ex-presidente do Detran, Teodoro Moreira Martins, o Doia. O depoimento ao Ministério Público Estadual foi prestado em 2015 e até o momento o Tribunal de Justiça de Mato Grosso não se posicionou sobre o caso.

Na delação, que também envolveria pessoas com prerrogativa de foro, mais precisamente deputados estaduais, envolveria esquemas de pagamento de propina na autarquia de trânsito.

O próprio Ministério Público já cobrou a celeridade do caso, junto ao Tribunal. O caso está nas mãos do desembargador José Zuquim, segundo informou no ano passado, o promotor de Justiça Roberto Turin. Caberá a Zuquim proceder com a homologação.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »