09/02/2018 às 17h57min - Atualizada em 09/02/2018 às 17h57min

Taques evita confronto e "agradece" críticas de Mauro ao Governo de MT

Governador disse que tentará “consertar” eventual erro da gestão

Folha Max
LEONARDO HEITOR E DIEGO FREDERICI
Foto: Reprodução

O governador Pedro Taques (PSDB) “agradeceu” as críticas do ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (PSB), sobre a atual gestão. Em entrevista a Rádio Vila Real nesta quinta-feira, o ex-gestor que afirmou que não reconhecer os erros da gestão do tucano no Poder Executivo de Mato Grosso seria “tapar o sol com a peneira”. 

Nesta sexta, o governador disse que a crítica é “salutar” e vai analisar eventuais erros da sua gestão. “Eu acho que na democracia toda crítica é salutar. O Mauro é nosso companheiro, e tem direito de fazer as críticas. E obrigado pelas críticas. Nós vamos tentar consertar se por ventura tem algum erro”, disse Taques aos repórteres.

Mauro Mendes, que em sua trajetória política sempre apoiou Pedro Taques e também recebeu seu apoio, disse que é preciso “dizer quem errou”, numa referência ao discurso do próprio Chefe do Poder Executivo Estadual, que recorrentemente atribuiu a seu antecessor, o ex-governador Silval Barbosa (sem partido), a responsabilidade pela alegada falta de recursos que atravessa sua gestão. Taques assumiu o Palácio Paiaguás em janeiro de 2015.

“Se falar que não teve erros, é tapar o sol com a peneira. Cabe ao governador dizer quem errou. Ficar falando só que é Silval Barbosa, ele poderia ter, no começo de seu mandato, tomado as medidas e corrigido alguns erros que ele atribui ao ex-governador. Ele fala que os poderes gastam muito, mas quem que aumentou o orçamento dos poderes, em 2015? Devia ter começado este ajuste lá atrás. Não deveria ter aumentado tanto o orçamento dos poderes. Ele aumentou tanto, que agora não consegue pagar”, disparou Mauro Mendes.

Outro argumento de Taques utilizado para o escalonamento de salários dos servidores do Poder Executivo – o de que outros Estado também atravessam uma crise financeira, com reflexos nos pagamentos dos vencimentos do funcionalismo -, também foi rebatida por Mauro Mendes.

“Houve crise sim. Falar que não existiu é desconhecimento. Mas temos muitos indicadores positivos que não dá mais para ficar com discurso de crise. Quantos estados brasileiros estão atrasando salário hoje? Se fossem 20, tudo bem, mas são cinco ou seis, que tem problemas de caixa. Se temos um problema grave, é porque falhas foram cometidas. O problema não brota sozinho. Alguém errou no passado. O governador deve ter culpa nestes três anos, como tem culpa do Silval, de lá de trás”, analisou Mendes.

Pedro Taques e Mauro Mendes protagonizam uma “guerra fria” nos bastidores da política de Mato Grosso. Taques, que deve tentar a reeleição nas eleições de 2018, pode enfrentar seu “aliado” nas urnas.

Lideranças do bloco de oposição ao Palácio Paiaguas estariam estimulando o ex-prefeito a “romper” com o governador e disputar o Governo. O ex-prefeito tem dito que não tem compromisso em apoiar a reeleição de Taques, no entanto, ainda não confirmou se irá disputar algum cargo nas eleições de 2018.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »