15/02/2018 às 23h55min - Atualizada em 15/02/2018 às 23h55min

Pelo menos 17 pessoas morrem após ex-aluno abrir fogo em escola na Flórida

Segundo a mídia local, pelo menos 20 pessoas foram baleadas durante o ataque, que aconteceu na cidade de Parkland; atirador usou uma AR-15

IG
Reprodução/ Twitter/ @kukalong Polícia dos Estados Unidos persegue suspeito de ter realizado os disparos contra os estudantes na Flórida

Um tiroteio na escola Marjory Stoneman Douglas de Parkland, na Flórida ( Estados Unidos ), deixou pelo menos 17 mortos e diversos feridos nesta quarta-feira (14).  O atirador foi identificado como Nikolaus Cruz , de 19 anos, e é ex-aluno do colégio. Ele foi detido logo após o crime e não resistiu aos policiais.

Segundo o xerife Scott Israel, que cuida do caso, Cruz teria sido expulso da escola por problemas disciplinares. Ainda segundo oficial, o jovem portava uma AR-15. Além dos 17 mortos confirmados, o xerife não precisou o número de pessoas feridas durante o tiroteio e nem o estado de saúde das vítimas. Segundo a mídia local, no entanto, pelo menos 14 pessoas estão internadas em hospitais da região. O ataque foi informado à polícia por volta de 15h no horário local (18h no horário brasileiro de verão).

Este é o maior ataque a uma escola nos Estados Unidos desde o infame tiroteio de Sandy Hook, que deixou 26 vítimas fatais.

Através de sua conta no Twitter,  o presidente norte-americano Donal Trump disse ter conversado com o governador da Flórida, Rick Scott, sobre o tiroteio em da escola de Parkland. "Estamos trabalhando diretamente com as forças de ordem neste terrível tiroteio em uma escola da Flórida", declarou. 

A escola tem cerca de 3 mil alunos de várias nacionalidades. O consulado brasileiro em Miami informou que há alunos brasileiros na escola, mas nenhum entre os feridos e vítimas. A filha do goleiro Bruno, formado na base do Palmeiras e que hoje defende o Fort Lauderdale Strikers, estava na escola na hora do ataque, mas não ficou ferida. O goleiro falou com a "GloboNews" e deu detalhes do ocorrido. "“Elas ficaram mais de uma hora dentro do armário e depois chegou um policial da SWAT e ficou de plantão na porta da sala dela esperando acalmar tudo", disse Bruno.

Quem é Nikolaus Cruz

#NEW: Longer video of suspect arrested @wsvn pic.twitter.com/2ZHmCd69rV

— Franklin White (@FranklinWSVN) 14 de fevereiro de 2018

A mídia ainda descreveu o atirador como um "menino difícil", um estudante "alternativo". Ele também seria integrantes de grupos pró-armas nas redes sociais e teria participado de debates na internet sobre fabricação de bombas.

Sobreviventes do ataque afirmaram que muitas pessoas "previam" que Cruz pudesse tomar esse tipo de atitude. Professores também o descreveram como problemático. 

* Com informações da Ansa e da Agência Brasil

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »