17/02/2018 às 14h56min - Atualizada em 17/02/2018 às 14h56min

Vereador finge ligar para governador em ocorrência de filho preso com CNH vencida

Folha Max
MAX AGUIAR
Secom CâmaraCbá - Otmar de Oliveira

A Polícia Militar prendeu, na noite de sexta-feira (16), o filho do vereador Marcrean Santos (PRTB), por estar dirigindo com a Carteira Nacional de Habilitação (CNH), vencida. O flagrante ocorreu no bairro Campo Verde, região do Carumbé, em Cuiabá. O jovem M.S.S, 23 anos, estava em um HB20 de cor prata, quando foi parado para abordagem. No carro, os policiais disseram que além do filho, havia uma segunda pessoa, que não resistiu ao procedimento, porém o filho do vereador proferiu ameaças aos militares. 

Porém, o que chamou atenção dos policiais é que na delegacia, o motorista acabou passando mal e teve que ser levado até a UPA da Morada do Ouro. Ele estava com fortes dores na barriga e por isso precisou ser atendido. No hospital, o vereador Marcrean chegou para saber o que estava acontecendo e chegou a dizer aos policiais o que ele poderia fazer para "resolver" a situação do filho. 

O boletim aponta que depois que o jovem foi atendido retornou ao Cisc, lá passou mal novamente, momento em que o vereador passou a acusar os PM’s de ter agredido o seu filho. Por conta do retorno da dor, os policiais tiveram que retornar com M.S.S para a UPA.

Nesse momento, o vereador pegou o celular e simulou ligar para o governador Pedro Taques, para tentar intimidar os policiais. Mesmo com a simulação, os policiais levaram o rapaz para o segundo atendimento médico e em seguida retornaram ao Cisc para registro da ocorrência.

O caso ficará sob responsabilidade da Delegacia de Delitos de Trânsito (Deletran). 

Verador cassado

Marcrean como vereador chegou a ter o mandato cassado pelo juiz Gonçalo Antunes de Barros Neto, da 55ª Zona Eleitoral, pela prática de fraude na composição da lista de candidatos às eleições de 2016 e também por abuso de poder. 

Na fraude denunciada pelo Ministério Público Federal (MPE) aponta que Marcrean e outros vereadores denunciados ludibriaram a justiça eleitoral apresentando nomes de candidatos que se quer sabiam que estavam concorrendo a alguma coisa naquelas eleições. Foi inserido nome de mulheres de maneira irregular na chapa, sendo assim Marcrean um dos beneficiados nas eleições, pois de acordo com o MPE, caso os nomes das mulheres não fossem apresentados, Marcrean não teria sido eleito. 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »