21/02/2018 às 14h49min - Atualizada em 21/02/2018 às 14h49min

Polícia faz busca em fazenda para localizar corpo de jovem grávida

Redação
PJC-MT

Um mandado de busca e apreensão decretado com base em investigações do desaparecimento de uma jovem, ocorrido no município de Porto dos Gaúchos (663 km a Médio Norte) foi cumprido pela Polícia Judiciária Civil e Polícia Militar, na manhã desta terça-feira (20).

A ordem judicial teve como alvo a propriedade agrícola do pecuarista José Sebastião Boldrin, 67, conhecido na região como “Zé Padeiro”, apontado como autor do crime que vitimou a jovem Franciele Epitânio Costa, de 23 anos.

Durante as buscas, foram realizadas escavações utilizando uma máquina pá carregadeira, nos vários pontos da fazenda, em que o corpo da jovem poderia estar escondido. No interior da casa do investigado os policiais apreenderam cartuchos e cerca de 50 munições de diversos calibres.

Após acompanhar o trabalho dos policiais civis e militares, o suspeito foi conduzido à delegacia, onde foi ouvido e autuado em flagrante por posse irregular de munições. De acordo com o delegado de Porto dos Gaúchos, Albertino Félix de Brito Junior, as investigações continuam para localizar os restos mortais da vítima.

“Mesmo não havendo corpo, há indícios suficientes que apontam o pecuarista como a última pessoa que esteve em contato com Franciele. É uma investigação complexa, mas a Polícia Civil está pronta para averiguar qualquer denúncia que possa colaborar para a elucidação do caso”, destacou.

O crime

As diligências iniciaram no dia 18 de fevereiro de 2014, quando a jovem Franciele Epifânio Costa, de 23 anos e gestante, saiu de casa para se encontrar com o pecuarista e nunca mais deu notícias. Até hoje, o corpo da vítima não foi encontrado.

Conforme apurado, o suspeito era casado e matinha relacionamento extraconjugal com a jovem,e queria que ela fizesse um aborto. A última vez que Franciele foi vista, estava entrando na caminhonete S10 do investigado.

Na ocasião do desaparecimento da jovem, o suspeito chegou a ser preso, mas foi posto em liberdade mediante um habeas corpus. Logo após fugiu para o Paraná, onde morou por algum tempo no município de Toledo, e depois foi para São Paulo.

Em outubro do ano passado, a Polícia Civil de São Paulo, em apoio a Polícia Civil de Mato Grosso, tentou prendê-lo, quando ele estava na cidade de Marília (SP). Porém o pecuarista conseguiu fugir, voltando para Mato Grosso, onde ficou escondido na casa de parentes, na Capital.

No mês de dezembro de 2017, José Sebastião Boldrin foi localizado e preso pela equipe da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Cuiabá. No entanto, foi novamente colocado em liberdade.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »