02/11/2016 às 14h02min - Atualizada em 02/11/2016 às 14h02min

Mulheres rendem motorista e roubam carreta que transportava diesel para Sinop

Com Gazeta Digital
Página Press
Duas mulheres fizeram caminhoneiro refém e a carreta com carga de 45 mil litros de óleo diesel foi roubada, na região de Rosário Oeste (104 quilômetros de Cuiabá), ontem à noite. Segundo informações policiais, o motorista passou a noite toda no meio do mato, dominados por bandidos, enquanto outros integrantes da quadrilha levava o veículo. A carreta saiu da cidade de Paulínea (SP), e seguia para Sinop. A vítima conseguiu se libertar 24 horas após assalto, quando deixou o cativeiro e conseguiu chegar até uma rodovia. A carga foi avaliada em R$ 110 mil. 

De acordo com a PM, no último sábado de manhã, o motorista percebeu que os freios apresentavam problemas. Estacionou no pátio de um posto de combustível, na região de Pedra Preta (próximo a Rondonópolis). Depois de fazer os ajustes, lavou as mãos e, ao retornar para o veículo, foi surpreendido por uma mulher que colocau  uma arma nas saas constas  e mandou que ele entrasse na cabine  e seguisse suas ordem. Durante o percurso, outra mulher entrou na carreta nas proximidades do município de Jaciara. Esta desceu e abriu a porteira de uma fazenda, localizada na região da  Serra de São Vicente.

O motorista dirigiu até o Trevo do Lagarto, em Várzea Grande, onde a outra mulher que havia descido reapareceu e embarcou novamente. A carreta seguiu até Rosário Oeste, onde foi obrigado a parar. Outros dois membros do bando o esperaram e o obrigaram motorista a passar para o banco detrás. Enrolado em um coberto o motorista foi levada até uma mata e ficou ficou sob a mira de um dos bandidos, durante toda a noite. Ele foi liberado por volta das 12h do domingo (30). Após caminhar alguns quilômetros chegou a rodovia onde pediu ajuda. 

A carreta (marca e modelo não informados) não foi recuperada. A investigação do crime está sob responsabilidade da Delegacia Especializada em Roubos e Furtos de Veículos Automotores (Derfva). 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »