10/11/2016 às 18h27min - Atualizada em 10/11/2016 às 18h27min

Suicídio cresce 68% no estado de Mato Grosso, diz estudo

Aline Almeida
Diário de Cuiabá
Uma tragédia silenciosa e que mata uma pessoa a cada 45 minutos no Brasil e uma a cada 45 segundos no mundo, o suicídio ainda é tratado com tabu pela sociedade. Mas, muito acima dos números que se somam às estatísticas, estão vidas, que geralmente são de pessoas que sofrem de transtornos mentais ou depressão e que vêem no suicídio uma forma de vencer o problema. 

Os casos têm aumentado a cada dia. Em Mato Grosso, por exemplo, o Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública mostra que o número de suicídios cresceu quase 68% nos primeiros sete meses (janeiro a julho). 

Em 2015, foram 52 casos nesse período, contra 87 em 2016. Dados da Secretaria de Estado de Segurança Pública apontam que, em 2015, em Cuiabá, de janeiro a agosto foram 22 suicídios. Em 2016, de janeiro a agosto, foram 18. 

Na cidade de Várzea Grande, houve um aumento de quase 100% em comparação ao mesmo período nos dois anos: sete casos em 2015 e 13, entre janeiro a agosto, em 2016. 

Na última terça-feira, mas uma pessoa entrou para está trágica estatística. Um jovem se jogou da Ponte Sérgio Motta, entre as cidades de Cuiabá e Várzea Grande. Um mecânico que passava pelo local disse que chegou a segurá-lo por duas vezes e conversar com o homem, que se identificou como Rafael, mas não conseguiu impedir a queda. 

O mecânico Leandro Garcia disse que a vítima não chegou a contar por qual motivo queria se jogar da ponte. Leandro fez uma postagem na sua página da rede social “Facebook”, lamentando o fato de não ter conseguido ter salvado a vida da vítima. 

“Às vezes a gente quer fazer coisas boas pelas pessoas e acaba deixando-as partir, por não conseguir segurar elas (sic). Hoje tive uma prova disso. Tentei segurar você Rafael, mas não consegui. Nunca senti uma coisa assim. Foi uma perda pra mim porque tentei ajudar uma pessoa que nem conhecia. Fiz de tudo pra te ajudar Rafael, mas não consegui, que Deus guarde sua alma”. 

Existe a possibilidade de se tratar do jovem R.A. Ele seria filho de uma professora e um agente penitenciário. O jovem que trabalhava em um supermercado próximo a Ponte Sérgio Motta era morador do Bairro Marajoara em Várzea Grande e estaria sofrendo depressão. A família chegou a publicar postagens na rede social comunicando sobre o desaparecimento do jovem. 

Até o fechamento desta edição, o corpo do homem não havia sido encontrado pelo Corpo de Bombeiros. 

Esta não é a primeira vez que uma pessoa pula da ponte Sérgio Mota neste semestre. 

No início do mês de setembro, um jovem identificado como Leandro Lauro de Oliveira, 34 anos que estava sendo filmado por colegas se aproximou do canteiro de proteção e se jogou na água. O corpo da vítima que aparentava estar embriagada só foi encontrado dois dias depois a 100 metros da ponte. A Polícia Civil chegou a abrir um inquérito policial para investigar o caso. 

CVV – O Centro de Valorização da Vida tem um canal de contato para quem precisar de ajuda, precisar conversar sobre o assunto ou estiver com pensamentos negativos. 

O chamado pode ser feito 24 horas por dia pelo número 141 (Cuiabá e Várzea Grande) ou (65) 3321-4111 (interior). Eles fazem também atendimento pessoal na Rua Comandante Costa, 296, das 8h às 18h. 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »